A terra tremeu em Manaus, como se já não bastasse a falta de oxigênio

Compartilhe agora

Desgraça pouca é bobagem. Como já não bastasse a falta de oxigênio nos hospitais, a terra ainda tremeu neste domingo (31) em Manaus (AM).

O terremoto com epicentro na Guiana foi sentido em vários estado no Norte do Brasil.

O tremor teve magnitude 5,7, de acordo com um observatório dos Estados Unidos.

O epicentro do fenômeno foi registrado a cerca de 40 km da fronteira guianense com Roraima, e os abalos foram sentidos em Boa Vista e Manaus.

Terremoto foi sentido em Manaus

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitora atividades sísmicas por todo o mundo, o epicentro foi registrado a cerca de 40 quilômetros da fronteira da Guiana com Roraima, a um profundidade de 9,7 km— considerada relativamente rasa, e, portanto, com maior potencial de ser percebido pelos moradores da região afetada.

Moradores de Boa Vista, Manaus e da cidade de Georgetown, capital da Guiana, registraram o tremor. Também há relatos de abalo na Venezuela e no Suriname. Além de Roraima e Amazonas, o USGS estima que o noroeste do Pará tenha sentido o terremoto.

Até a última atualização desta reportagem, não havia informação sobre danos graves a estruturas ou sobre feridos por eventuais desabamentos. Em Roraima, o Corpo de Bombeiros afirmou que vai permanecer em alerta nas próximas 24 horas monitorando “qualquer anormalidade”.

Ainda segundo o USGS, a cidade mais próxima do epicentro do tremor é a guianense Lethem, a 83 km do ponto central dos abalos. A localidade fica separada por uma ponte do município brasileiro de Bonfim (RR), a única ligação terrestre possível entre Brasil e Guiana.