Lula dispara contra Bolsonaro: ‘precisa criar vergonha e ler uns livros’; assista ao vídeo

O ex-presidente Lula abriu fogo contra o presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta (1º), numa entrevista à Rádio Progresso Cariri, de Juazeiro do Norte, no Ceará.

O petista disse que Bolsonaro precisa criar vergonha e ler uns livros ao invés de ficar relacionando a cor vermelha com o comunismo.

“O Bolsonaro acha que tudo que é vermelho é comunista”, criticou Lula.

Para o ex-presidente, se ele [Bolsonaro] ver a cor do sangue que tem dentro dele se mata porque vai pensar que é comunista.

“Essa gente precisa criar vergonha e ler uns livros”, recomendou o ex-presidente Lula, que, em 580 dias presos, leu mais de 40 livros.

Lula disse que a leitura ajuda a entender o que é cada coisa e parar de falar bobagem.

No começo de 2020, o ex-presidente Lula falou sobre a leitura.

“Li, na prisão, mais de 40 livros e quando recebi o primeiro, Um Defeito de Cor, de 952 páginas, me questionei por quanto tempo ficaria preso”, relatou o ex-presidente no Twitter.

“Sou fascinado por biografias. Nesses 580 dias, li as de Tiradentes, Fidel, Mandela, Prestes, Chávez, Putin, Marighella, entre outros”, disse o petista.

“Ao invés de uma metralhadora, um livro; ao invés de um revólver, uma carteira de trabalho assinada”, discursou hoje.

Na entrevista à Rádio cearense, Lula descartou a possibilidade de sentar com Bolsonro em nome de um projeto para o Brasil. Segundo o ex-presidente, Bolsonaro só pensa no Zero Um, Zero Dois, Zero Três e Zero Quaro –declarou, referindo-se aos filhos do presidente.

O ex-presidente disse que deseja voltar em breve a andar pelo Brasil, numa nova caravana, para conversar com as pessoas. Ele afirmou que alguém precisa falar sobre emprego, sobre sonho, sobre nosso futuro. “Precisamos recuperar nossa esperança.”

Lula ainda criticou a falta de política de controle de preços para os alimentos.

“Nós não temos 1 kg de feijão na prateleira da Conab. Porque não temos governo. É uma tristeza imensa que o país enganado pela mentira de alguns meios de comunicação e das fakenews tenha colocado na Presidência alguém que não tem um milímetro de compromisso com o povo”, disparou o ex-presidente.

Lula ainda falou na entrevista sobre a sua condição de retirante nordestino.

“Eu vim pra São Paulo num pau de arara sem banco, minha mãe com 8 filhos, numa viagem que durou 13 dias. Quando chegamos aqui minha mãe descobriu que meu pai tinha outra família”, disse, ao lembrar da música Eu ouço essa música “A Triste Partida”, de Patativa do Assaré.

Sobre as eleições de 2022, da possibilidade de disputar outra vez a Presidência da República, Lula lamentou que ele tinha condições de ser eleito no 1º turno de 2018, porém foi impedido com a prisão política. “E por isso se preocupam com 2022.”

“Eu quero meus direitos políticos. Se vou ser candidato ou não depende de muita coisa”, declarou Lula. “Depende do PT, dos aliados, da saúde, de Deus… Só quero meus direitos políticos”, completou o ex-presidente.

Assista ao vídeo com a entrevista com Lula:

Compartilhe agora