Amoêdo sugere vacinação forçada em bolsonaristas, que se revoltam com proposta

O ex-presidenciável do NOVO, João Amoêdo, apanha igual cachorro sem dono nas redes sociais porque sugeriu que os bolsonaristas sejam forçados a tomar vacina.

“A vida em sociedade pressupõe liberdade com responsabilidade”, escreveu Amoêdo, dublê de banqueiro e político.

Para João Amoêdo, quem decide não tomar vacinas, que evitam doenças contagiosas, não deveria frequentar espaços públicos, ruas, hospitais e escolas.

O moço do NOVO apanha por uma das poucas coisas coerentes que disse. [Na economia, Amoêdo é um desastre na perspectiva do trabalho porque ele advoga pelo capital vadio.]

Amoêdo sugere que todos sejam vacinados, inclusive os bolsonaristas. No entanto, caso não tomem o imunizante, eles devem ficar isolados até o fazerem.

Na prática, o ex-presidenciável do NOVO defende a vacina compulsória para todos.

“Quem decide não tomar vacinas, que evitam doenças contagiosas, não deveria poder frequentar espaços públicos, ruas, hospitais e escolas”, prega o “comunista” João Amoêdo, que completa: “E sim, permanecer isolado até que todos os demais sejam vacinados.”

Os bolsonaristas se revoltaram com a proposta.

“Chamam esse partido de “Novo”, mas, é só um PSOL desbotado! Seja coerente, Amoedo: obrigue os candidatos do Novo não saírem nas ruas para fazer campanha, afinal, nenhum deles foi vacinado e são um risco para a sociedade segundo sua lógica! A eleição para o Novo a gente vê depois!”, criticou o deputado estadual Gil Diniz (PSL-SP).

A proposta do Blog do Esmael, mais radical do que a de Amoêdo, seria o presidente Jair Bolsonaro o primeiro a tomar a dose da vacina –se ele estiver presidindo o Brasil até lá.

Compartilhe agora