Haddad vira a “arma secreta” do PT nas eleições de 2020

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foi convertido numa espécie de “arma secreta” do PT nas eleições municipais de 2020.

Ex-ministro da Educação do governo Lula, Haddad irá participar na próxima quinta-feira (3) do lançamento da pré-candidatura de Paulo Opuszka à Prefeitura de Curitiba.

Com o tema “Futuro de Curitiba”, do PT anuncia uma live com Haddad para a largada da pré-campanha rumo ao Palácio 29 de Março –sede do executivo municipal da capital paranaense.

A proposta do PT é aproveitar a liderança e a experiência de Haddad para qualificar o debate sobre soluções para os problemas de Curitiba e engajar a militância na pré-campanha do partido.

Quando prefeito, entre 2012 e 2016, Haddad foi premiado como melhor prefeito da América Latina pelo Mayors Challenge (Desafio dos Prefeitos).

Paulo Opuszka, o pré-candidato do PT em Curitiba, afirma que pretende incorporar as experiências inovadoras da gestão Haddad em São Paulo ao programa de governo do PT.

A live Opuszka/Haddad será às 19 horas da próxima quinta, dia 3.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro vai anunciar auxílio emergencial de R$ 300 na terça-feira

O presidente Jair Bolsonaro não irá anunciar nesta terça-feira (1º) que o auxílio emergencial não será de R$ 600 nem de R$ 200. Bolsonaro vai bater o martelo no valor de R$ 300, metade, que será estendido até o fim deste ano.

A redução do benefício pela metade expõe as populações mais vulneráveis economicamente à pandemia do novo coronavírus e à fome, haja vista que são mais de 80 milhões de desempregados no País, 50% da população economicamente ativa (PEA), embora as estatísticas oficiais apontem apenas 13% de desocupados.

O auxílio emergencial de R$ 600 foi uma conquista da oposição no Congresso Nacional, no início da pandemia, quando o presidente e o ministro da Economia, Paulo Guedes, propunham somente R$ 200 de ajuda.