[Ao vivo] Fernando Haddad entrevistado pelo Roda Viva

O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad (PT), é o entrevistado do programa Roda Viva nesta segunda-feira (6). Com apresentação de Vera Magalhães, na TV Cultura, o Blog do Esmael transmite a atração ao vivo para o Brasil e o mundo.

Em pauta, entre outros temas, a viabilidade de uma frente ampla em defesa das instituições e da democracia, as divisões internas no PT em relação a essa frente e na oposição ao governo Jair Bolsonaro e o risco de isolamento do partido na esquerda.

Haddad é professor de Ciência Política na Universidade de São Paulo, onde se formou em Direito, fez mestrado em Economia e doutorado em Filosofia. Foi ministro da Educação, entre 2005 e 2012, nos governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Durante sua gestão, o MEC lançou o programa Universidade para Todos, o ProUni, criado para conceder bolsas de estudo a alunos de baixa renda, para cursos de graduação e sequenciais, em instituições particulares. Entre 2013 e 2016, foi prefeito de São Paulo e, em 2018, candidatou-se à presidência da República, nas eleições vencidas por Jair Bolsonaro.

O Roda Viva conta com uma bancada de entrevistadores formada por Bela Megale, colunista do jornal O Globo; Ricardo Balthazar, repórter especial do jornal Folha de S.Paulo; Flávio Costa, escritor e repórter do portal UOL; Andrea Jubé, repórter de Política do jornal Valor Econômico; e Vera Rosa, repórter do jornal O Estado de S.Paulo em Brasília. Há ainda a participação remota do cartunista Paulo Caruso.

ASSISTA AO VIVO:

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro sanciona redução de salário e jornada, antes de anunciar que tem sintomas de Covid-19

Publicado em 6 julho, 2020

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) novamente deu um nó no noticiário ao sancionar a Medida Provisória 936, que permite reduzir jornada e salário durante a pandemia, antes de anunciar que está com sintomas da Covid-19.

Evidentemente que a saúde do presidente da República “roubou” a cena nesta segunda-feira (6), embora a redução salarial e de jornada irão atingir alguns milhões de trabalhadores brasileiros. Nas redes sociais, há torcidas a favor do vírus e de Bolsonaro. Refletem a divisão do País.

A MP 936, na essência, coloca a conta da pandemia nas costas dos mais vulneráveis, enquanto o governo federal segue drenando dinheiro público para bancos e especuladores.

“Sancionada hoje a Lei que instituiu o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (MP-936). Todos os benefícios serão custeados com recursos da União, operacionalizado e pago pelo @MinEconomia diretamente ao empregado”, tuitou o presidente Bolsonaro, antes de anunciar que pode estar com a Covid-19.

A MP 936 originalmente seria para “preservar” empregos, no entanto, o texto permite a precarização e a suspensão dos contratos de trabalho sem a presença do sindicato.

O trabalhador se ferrou mais uma vez hoje, mas, nos jornalões, o assunto principal será a infecção de Jair Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM