Moro é acusado de plagiar artigo de advogado; ex-juiz acusa coautora

Conta o site Metrópoles, de Brasília, que o ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro foi acusado de plágio num artigo científico. Segundo a página brasiliense, Moro atribuiu a cópia a uma estudante de mestrado.

O autor do texto original é o advogado Marcelo Augusto Rodrigues de Lemos, que havia publicado o material no “Consultor Jurídico”. Ele disse que esperava ser creditado pelo ex-juiz.

Cobrado pelo plágio, segundo o Metrópoles, Moro acusou a coautora pelo Ctrl C + Ctrl V (cópia).

Recentemente, numa campanha publicitária, Moro prescreveu em outdoors espalhados em Curitiba: “faça a coisa certa, sempre.”

Leia a reportagem do Metrópoles:

Advogado acusa Moro de plágio em artigo. Ex-juiz diz que coautora escreveu

Artigo que ex-ministro havia publicado com aluna tem trechos idênticos a texto que foi ao ar anteriormente. Moro admitiu o erro

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro publicou, em co-autoria com uma estudante de mestrado, um artigo científico que contém trechos idênticos aos de texto publicado meses antes por outro advogado, em um site especializado em notícias jurídicas.

O artigo de Moro e da advogada Beathrys Ricci Emerich, mestranda na Unicuritiba, trata da lavagem de dinheiro do crime por meio do pagamento a advogados.

O artigo de onde trechos foram tirados sem crédito foi publicado em 1º de setembro de 2019 no site Consultor Jurídico e fala sobre o “aviltamento do livre exercício da advocacia em tempos de crise”. Seu autor é o advogado Marcelo Augusto Rodrigues de Lemos.

Apesar de a revista onde o texto que leva a assinatura de Moro foi publicado datar do período abril/junho de 2019, registros na bibliografia de Beathrys revelam que a real data de saída do texto é depois de abril de 2020. Até mesmo em postagens da advogada em redes sociais há registros do período.

Contatado pela reportagem, o ex-juiz admitiu que havia trechos copiados sem a devida citação, mas responsabilizou a coautora, que foi orientada por ele, pelo erro. O artigo foi despublicado dos arquivos da Unicuritiba, onde havia saído na revista Relações Internacionais no Mundo Atual, após os questionamentos do Metrópoles.

LEIA TAMBÉM

O que dizem as partes
Procurado pelo Metrópoles, o autor do texto publicado no Consultor Jurídico Marcelo Augusto Rodrigues de Lemos disse que ficou muito surpreso ao constatar os trechos plagiados e disse que avalia possíveis medidas judiciais, já que cópia sem citação de obra intelectual é crime.

“Eu fico honrado de ser citado por um jurista como Moro, mas não esperava não ser creditado por isso”, disse ele. “Mas esperaria no mínimo uma retratação dos autores, um reconhecimento”, completou.

A reportagem procurou o ex-ministro que, por meio de sua assessoria, disse tratar-se de “um artigo publicado em coautoria”, no qual ele orienta uma aluna. “A redação é basicamente do orientando”, disse ele, que também assina o artigo, como é comum quando há produção compartilhada entre alunos e professores.

Em seguida, Moro informou ainda que consultou a orientanda e admitiu o erro. “Houve cópia de dois trechos curtos no trabalho, sem a necessária citação, motivo pelo qual se pede escusas pelo inconveniente. O artigo foi retirado da revista e será reavaliado”.

A Unicuritiba também foi procurada e não se manifestou oficialmente até a publicação desta reportagem, apesar de ter tirado do ar o texto que sofre acusação de plágio.

Beathrys Emerich foi procurada pela reportagem, mas não atendeu aos chamados. Após a consulta, ela fechou o acesso público a suas redes sociais, onde tem fotos com Moro e comemora a publicação do artigo. As cenas já haviam sido registradas.