Porta-voz do presidente Bolsonaro está com o Coronavírus

Publicado em 6 maio, 2020

O porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, de 59 anos, foi diagnosticado pelo Coronavírus e está afastado de suas funções no Palácio do Planalto.

A informação foi confirmada por sua equipe. Rêgo Barros está sem sintomas e cumprindo a quarentena em sua residência.

Bolsonaro no ‘colo’ do Centrão e Diário Oficial publica nomeações nesta quarta

O presidente Jair Bolsonaro abandonou a retórica demagógica contra a “velha política” e partiu para o abraço no Centrão, bloco parlamentar mais fisiológico e corrupto do Congresso Nacional.

Cada vez mais isolado e desgastado, Bolsonaro arrega e senta no colo dos “capos” do grupo comandado por figuras como Roberto Jefferson (PTB), Valdemar Costa Neto (PL), Gilberto kassab (PSD), Paulinho da Força (Solidariedade) e de próceres do PP, Republicanos e Avante.

A mordida do Centrão foi apetitosa: Bolsonaro liberou a gorda fatia de 53 bilhões para a gerência do grupo através de nomeações em empresas estatais, bancos, autarquias, diretorias e conselhos estatais. O número de páginas no Diário Oficial da União (DOU) vai aumentar nos próximos dias.

Nesta quarta-feira (6), a primeira leva de nomeações começou pelo tradicional objeto de desejo de políticos nordestinos: O DNOCS – Departamento Nacional de Obras Contra a Seca. Foi nomeado Fernando Marcondes de Araújo Leão, indicado pelo Avante.

LEIA TAMBÉM
Mandetta, coitado, já caiu no esquecimento

Mídia corporativa desafina, mas continua com Bolsonaro

Lula: ‘Não é justo ter hospital privado com leito vazio e ter gente esperando a morte em casa’

Nas próximas horas, o Centrão aguarda as nomeações para a Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e para diversas secretárias e diretorias de ministérios em edições extras do DOU.

Com medo do impeachment, que já coleciona cerca de 30 pedidos na mesa de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na Câmara dos Deputados, Bolsonaro aposta as suas fichas na bancada parlamentar do Centrão. O movimento visa também a disputa da presidência da Câmara de Deputados no próximo ano, quando se encerra o mandato de Maia.