Zé Dirceu afirma que é hora de o PT avançar com Fora Bolsonaro

“Nós também precisamos lutar para que Lula seja habilitado para disputar a Presidência da República”, defendeu o ex-ministro Zé Dirceu.

O ex-ministro José Dirceu afirmou nesta segunda-feira, durante uma live, que é hora de o PT avançar com a bandeira do Fora Bolsonaro.

“Temos que avançar com o fora Bolsonaro, dialogando com outras forças”, disse numa entrevista no canal do vereador Arnaldo Godoy (PT), de Belo Horizonte (MG).

Na avaliação do ex-ministro, Bolsonaro continuará com essa marcha acelerada pelo golpe.

Dirceu criticou a fala do presidente da República segundo qual “70% irão morrer ou serão contaminados pelo coronavírus” no Brasil.

“Os países que deixaram de tomar medidas pagaram um alto preço, disse, referindo-se à Itália, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos”, opiniou.

Segundo Zé Dirceu, o Brasil tem condições de enfrentar a Covid-19 porque tem um Estado organizado e uma sociedade organizada.

“Bolsonaro está praticamente isolado nessa opinião negacionista”, afirmou.

O ex-ministro disse que é preciso lutar pelo impeachment de Bolsonaro combinado com as reformas estruturais e a revolução social no Brasil.

“Nós também precisamos lutar para que Lula seja habilitado para disputar a Presidência da República”, defendeu.

Zé Dirceu avaliou que poderá haver “unidade e luta” na atual conjuntura: unidade contra Bolsonaro e luta pelas reformas estruturais.

LEIA TAMBÉM
Caixa Tem: saiba usar o aplicativo que permite movimentar a conta do auxilio emergencial

Brasil registra quase 400 mortes por Coronavírus em 24 horas

Para evitar o coronavírus, centrais sindicais farão 1º de maio unificado pela internet

PT afirma que abrir comércio é fórmula para mais mortes e desastre econômico

O PT registra em seu site oficial opinião de economistas alertando sobre a reabertura de lojas de modo desordenado. Segundo esses especialistas, isso irá acelerar o ritmo de contágio do coronavírus, provocar mais mortes e agravar o quadro de recessão no Brasil.

De acordo com a página petista, a insistência do presidente Jair Bolsonaro em atropelar as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) de manutenção do isolamento social como forma de diminuir a velocidade de propagação da pandemia do coronavírus pode resultar em um completo desastre econômico.

“Não há distinção entre salvar vidas e salvar a economia”, afirma o professor de Economia Internacional do Instituto de Pós-Graduação em Estudos Internacionais e Desenvolvimento em Genebra, Richard Baldwin, em entrevista concedida à BBC. Baldwin defende um “desligamento” da economia para diminuir o contágio, associado a medidas de proteção de trabalhadores e de pequenas e médias empresas. “As principais medidas são proteger as famílias mais vulneráveis, proteger as empresas para que empregos estejam disponíveis quando esse período passar”, observa.

O economista também cita como exemplo as lições deixadas pela gripe espanhola que arrasou o mundo em 1918. “Nos Estados Unidos, as cidades com as quarentenas mais severas foram as que menos tiveram recessão”, lembra. “A ideia é que, se você baixar uma quarentena rapidamente, a economia sofrerá um grande choque, mas você poderá voltar ao normal de maneira mais rápida”, aponta Baldwin. “E se você não entrar em quarentena por causa da pandemia, ela causa mais problemas e mais danos econômicos”.

Aos fatos. Uma explosão de casos de coronavírus entre funcionários obrigou a a maior produtora de suínos do mundo, a americana Smithfield Foods, a fechar as portas por tempo indeterminado. A suspensão das atividades da companhia, que responde por cerca de 5% de toda a produção de suínos nos Estados Unidos, pode gerar uma onda de desabastecimento nos supermercados do país. Segundo a governadora de Dakota do Sul, sede da produtora, Kristi Noem, o coronavírus infectou pelo menos 238 funcionários, representando 55% do total de casos no estado.

Lula, Gleisi e Haddad dizem que chegou a hora do “Fora, Bolsonaro!”

Depois da participação do presidente Bolsonaro do ato que pedia intervenção militar contra o Congresso e o STF, a cúpula do Partido dos Trabalhadores parece ter se convencido que é preciso se posicionar de maneira firme pelo “Fora, Bolsonaro!”.

Pelo Twitter, o ex-ministro Fernando Haddad declarou:

“O verme, mais uma vez, diz a que veio. Até quando os democratas suportarão tanta provocação, sem nada fazer? O dia do fora já chegou!”

A presidente nacional do PT respondeu:

“Eu também acho @Haddad_Fernando, chegou a hora do fora Bolsonaro! O PT continuará esse debate em suas instâncias e não faltará ao país.”

Lula defende impedimento de Bolsonaro para barrar volta da ditadura

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu, neste domingo (19), nas redes sociais defendendo a adoção dos mecanismos democráticos para impedir o golpismo de Jair Bolsonaro. O chefe do executivo participou de ato em Brasília que pedia o AI-5, o fechamento do Congresso e do STF.

“A mesma Constituição que permite que um presidente seja eleito democraticamente têm mecanismos para impedir que ele conduza o país ao esfacelamento da democracia e a um genocídio da população”, apontou Lula no Twitter.

PSOL pede saída imediata de Bolsonaro

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) divulgou nota de repúdio neste domingo (19) condenando a participação de Bolsonaro nos atos a favor de um golpe com um novo AI-5 e o fechamento do Congresso e do STF.

A nota assinada pelo presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, pede a saída imediata de Bolsonaro do poder. “É preciso que Bolsonaro deixe o poder imediatamente, pelos meios constitucionais disponíveis, para que o Brasil não siga sob as ameaças de um genocida”, diz um trecho do documento. Leia a íntegra aqui.

Será que a oposição consegue se unir para tentar remover o “Capitão Corona” da presidência?