Caixa Tem: saiba usar o aplicativo que permite movimentar a conta do auxilio emergencial

A Caixa Econômica Federal segue com o calendário de pagamentos do auxílio emergencial de R$ 600. Nesta segunda-feira (20), serão creditados os pagamentos para 6.154.392 pessoas, entre beneficiários do Bolsa Família e inscritos via aplicativo e site, que vão receber por meio de poupança digital da Caixa.

O aplicativo permite três transferências gratuitas para outros bancos a cada mês, pelos próximos 90 dias. O Caixa TEM também vai oferecer a possibilidade de pagamento de boletos e contas de água, luz, telefone etc. O usuário também pode consultar saldo e extrato, fazer pagamentos e transferências de até R$ 600 por transação e até R$ 1 mil por dia.

Mesmo que o depósito já tenha sido feito, o saque só vai poder ser realizado a partir do dia 27 deste mês. Até lá, os trabalhadores informais poderão movimentar a conta digital pelo aplicativo Caixa Tem.

Veja o passo a passo para movimentar o auxílio emergencial:
Passo 1:

O aplicativo Caixa Tem onde você vai ter a sua poupança digital e vai receber o auxílio pode ser baixado por todos os celulares pela Google Play ou pela App Store .

Passo 2 :

Após fazer o download do app Caixa Tem, abra o aplicativo e clique na opção “SOU BENEFICIÁRIO”.

Passo 3:

Digite o número do seu CPF para continuar.

Passo 4:

Na próxima tela, o usuário deve digitir um código de segurança que será enviado através de mensagens (SMS) do seu celular, após a utilização do aplicativo para solitictação do auxílio emergencial. A mensagem dirá o seguinte “Auxílio: Seu código é XXXXXX, válido até XX/0X/20. Não Compartilhe.” Caso você não tenha mais o código será possível gerar um novo.

Passo 5:

Depois de digitar o código uma tela com a mensagem: “Estamos quase prontos”. Aperte na opção “CONTINUA”.

Passo 6:

O aplicativo Caixa Tem solicitará o Login Caixa. Para aqueles que já se cadastraram em outros aplicativos como o do FGTS ou Habilitação Caixa será possível usar a mesma senha.

Se você nunca fez esse cadastro será preciso preencher algumas informações para continuar. Primeiro será o número do seu CPF, o nome completo, a data de nascimento e o endereço de e-mail. Por último, cadastre uma senha. A senha não poderá ter mais de 2 números em sequência (por exemplo 1 e 2 ou 8 e 9) nem poderá ser a data do seu nascimento. Aperte em não sou um robô.

Passo 7:

No e-mail deverá ter um com o nome Login Caixa. Abra e clique no link para confirmar suas informações. Se não encontrar o e-mail na caixa de entrada é possível que ele esteja na sua pasta de SPAM.

Passo 8:

O link irá redirecioná-lo para a tela de login. Digite o seu CPF e em seguida a sua senha.

Passo 9:

Mais algumas informações serão requisitadas como o número do seu celular e o CEP de onde você mora.

Passo 10:

O aplicativo irá direcioná-lo para a página principal. Aperte em “Auxílio Emergencial”.

Passo 11:

Uma nova tela irá aparecer com a mensagem “Por aqui você pode consultar o seu Auxílio na sua conta Poupança Social Digital”. Clique na opção “Consultar o Auxílio na Poupança Social Digital”. Então a mensagem “Vinculação de Dispositivo ao CPF” irá surgir. Aguarde.

Passo 12:

Para vincular o seu celular ao app Caixa tem será enviada a você uma mensagem de texto (SMS). Aperte em receber código. Em seguida, cheque suas mensagens e, se já recebeu o número, digite no aplicativo e clique em “Enviar”.

Passo 13:

Para facilitar a identificação de qual aparelho está cadastrado no Login Caixa escolha um nome e digite no campo “Nome do Dispositivo”. Poderá ser a marca ou o modelo do seu celular, por exemplo.

Passo 14:

Você estará de volta na tela inicial e poderá consultar o seu benefício clicando na primeira opção “Auxílio Emergencial”. O usuário poderá consultar seu saldo, extrato e realizar pagamentos e transferências quando receber o valor.

LEIA TAMBÉM
PT afirma que abrir comércio é fórmula para mais mortes e desastre econômico

Bolsonaro prepara nova MP sobre a carteira ‘Verde e Amarela’

Receita Federal de Bolsonaro vai processar Flávio Dino por importar respiradores

Para evitar o coronavírus, centrais sindicais farão 1º de maio unificado pela internet

As centrais sindicais e movimentos sociais farão um ato para comemorar o Dia Internacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras, no dia 1º de Maio, por meio de uma transmissão ao vivo pelas redes socais. O formato de live foi escolhido para proteger os trabalhadores do novo coronavírus (Covid-19), que já infectou quase 2,5 milhão de pessoas em todo o mundo e fez mais de 166 mil vitimais fatais, entre elas 2.500 brasileiros.

As restrições à circulação também não impedirão a realização de um grande ato de 1º de Maio, com luta e muita solidariedade, afirmam os dirigentes sindicais.

O mote já foi escolhido: “Saúde, Emprego, Renda: um novo mundo é possível com solidariedade”. E, além de reivindicar direitos, a centrais sindicais vão continuar estimulando a reflexão e a luta pela democracia, pelo direito de a classe trabalhadora ter um movimento sindical organizado, ouvido e respeitado, diz a convocação sindical.

“Todas as centrais estão empenhadas em levar para os trabalhadores e trabalhadoras temas de luta e reflexão, muita música e ações solidárias. Durante todo o dia os sindicalistas vão arrecadar e distribuir alimentos e produtos de higiene para ajudar quem está em casa e não tem como trabalhar e conseguir renda para se manter”, informa o site da CUT.

O 1º de maio unificado também terá muita música, com apresentações feitas em casa por uma série de artistas, a partir das 10h.

Brasil registra quase 400 mortes por Coronavírus em 24 horas

O ministério da Saúde registrou 383 óbitos por Coronavírus nas últimas 24 horas no pior dia da pandemia. Houve um aumento de 15,5% nas mortes subindo de 2.462 para 2.845.

Os principais números da pandemia no Brasil são:

  • 2.845 mortes
  • 40.581 casos confirmados
  • Taxa de letalidade de 7%
    São Paulo tem 1.307 mortes e 14.580 casos confirmados. O Rio de Janeiro tem 422 mortes, Pernambuco 234, Ceará 198 e Amazonas 185 óbitos.

STJ recoloca a exigência do CPF regular para o auxílio de R$ 600

O ministro João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acolheu pedido da União e sustou os efeitos da liminar do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) que havia suspendido a exigência de regularização do CPF para o recebimento do auxílio emergencial durante a pandemia do Coronavírus.

De acordo com o ministro, a modificação nos critérios para a obtenção do benefício poderia atrasar o processamento de milhões de solicitações e trazer prejuízos graves à economia e à população.

“Se, em circunstâncias normais, a possibilidade do atraso de 48 horas nas operações referentes ao pagamento de auxílio à população representa intercorrência administrável do ponto de vista da gestão pública, no atual quadro de desaceleração abrupta das atividades comerciais e laborais do setor privado, retardar, ainda que por alguns dias, o recebimento do benefício emergencial acarretará consequências desastrosas à economia nacional e, por conseguinte, à população”, afirmou o ministro.

Mas o que acontece na prática é justamente o contrário. Milhões de brasileiros que estão na informalidade e não usam o CPF terão dificuldade de acessar esse benefício nesse momento tão difícil.

Na análise de tutela cautelar requerida pelo estado do Pará, o TRF1 entendeu que o Decreto Federal 10.316/2020, ao estabelecer a exigência de regularização do CPF, extrapolou seu poder regulamentar, impondo uma condição não prevista na Lei 13.982/2020, que instituiu o benefício emergencial.

Ainda segundo o TRF1, a necessidade de regularização do CPF seria contrária às medidas adotadas para evitar a disseminação da Covid-19, já que estimularia a aglomeração de pessoas em agências da Receita Federal.