Bolsonaro escolheu um potencial ‘serial killer’ para o Ministério da Pouca Saúde

O novo ministro da Pouca Saúde, Nelson Teich, é bastante parecido com “Tropeço”, o mordomo da Família Adams.

Antes de mais nada um esclarecimento sobre o termo ‘serial killer’ na língua inglesa. O Wikipédia nos traduz:

“Um assassino em série é um tipo de criminoso de perfil psicopatológico que comete crimes com determinada frequência, geralmente seguindo um modus operandi e às vezes deixando sua “assinatura”, como por exemplo coleta da pele das vítimas – no caso de Ed Gein.”

Deixemos pra lá o homem que deu origem ao termo ‘serial killer’ para focarmos na escolha do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para comandar o Ministério da Pouca Saúde, o oncologista Nelson Teich.

Primeiramente, trata-se de um especialista em economia hospitalar. Há muito o novo ministro da Pouca Saúde deixou de ser médico para vender consultorias sobre otimização de recursos no âmbito de clínicas e hospitais privados.

Numa dessas palestras gravada em vídeo, Teich afirma escolheria salvar um adolescente a investir num velho por questões de economia:

“E, se tem uma outra coisa que é fundamental, é que como você tem dinheiro limitado, você vai ter que fazer escolhas. Então você vai ter que definir onde você vai investir. Então, sei lá, eu tenho uma pessoa que é uma pessoa mais idosa, que tem uma doença crônica, avançada, e ela teve uma complicação. Para ela melhorar, eu vou gastar praticamente o mesmo dinheiro que eu vou gastar para investir num adolescente, que tá com um problema. O mesmo dinheiro que eu vou investir lá é igual. Só que essa pessoa é um adolescente que vai ter a vida inteira pela frente, e o outro é uma pessoa idosa, que pode estar no final da vida. Qual vai ser a escolha? Então são duas coisas importantíssimas na Saúde hoje é (sic): o dinheiro é limitado e você tem de trabalhar com essa realidade. A segunda coisa: escolhas são inevitáveis. Quais vão ser as escolhas que você vai fazer, né?”

Tem gente achando que Bolsonaro deu downgrade (rebaixou) o Ministério da Pouca Saúde com a nomeação de Teich. Profissionais da área acham que a troca foi para pior. Comparam até aquela havida na Educação, quando saiu o colombiano Ricardo Vélez para a entrada de “Seo Creysson”, Abraham Weintraub.

As semelhanças de Nelson Teich como “Senhor Morte”, personagens de filmes de terror são piadas prontas que atiçam a imaginação e a produção de memes nas redes sociais.

Segundo as redes sociais, o novo ministro da Pouca Saúde se parece com os seguintes personagens horripilantes:

  • Drácula
  • O Homem Fumante (Canceroso) – vilão da série Arquivo-X
  • Tropeço, o mordomo da Família Adams
  • Lobisomem (personagem de Benicio del Toro)
  • Fantasma do Natal Passado (filme “Os Fantasmas Contra-Atacam”)

O ministro da Pouca Saúde, o “Tropeço”, afirmara que mandaria um velho morrer infectado de coronavírus em casa e que faria escolha pela vida de um adolescente por questões meramente econômicas. Teich é categórico: “o dinheiro é limitado e você tem de trabalhar com essa realidade.”

Está errado o ministro. O orçamento não tem limite quando se trata de salvar vidas humanas. O bom gestor público é aquele que trabalha pela “perda zero” de vidas no sistema universal de saúde.

Crendiopai!