Barroso diz que decisão sobre adiamento das eleições municipais deve sair em junho

Compartilhe agora

Em entrevista ao site Uol nesta segunda-feira (6), o ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve decidir em junho se adia ou não as eleições municipais deste ano. O adiamento do pleito, marcado para outubro, vem sendo cogitado devido à pandemia do novo coronavírus.

“A verdade é que nós estamos monitorando a evolução da doença. Não gostaria de adiar as eleições, acho que ainda não é preciso decidir isso neste momento, mas acho que não podemos fechar os olhos a este risco. Imaginaria junho como sendo o momento em que nós temos que ter uma definição. O que eu sou radicalmente contra é o cancelamento das eleições e fazer todas coincidirem em 2022”, disse o magistrado, que em maio assume a presidência do TSE.

LEIA TAMBÉM:
Ex-ministra critica atraso no pagamento da renda emergencial: ‘pessoas estão desesperadas’

Datafolha sob medida para fortalecer Paulo Guedes e as patifarias de Bolsonaro

Datafolha: 76% dos brasileiros apoiam o isolamento social

Para Barroso, o aceitável seria adiar as eleições municipais “por um prazo máximo de dois meses”. Unir as eleições municipais e nacionais violaria, segundo ele, a “vontade do eleitor” que votou para um mandato de quatro anos dos governantes. O ministro ainda avaliou que o excesso de candidatos criaria “um inferno gerencial”.

“Nós estamos estimando 750 mil candidatos entre prefeitos e vereadores. Se você juntar isso a milhares de candidatos nas eleições nacionais vai criar um inferno gerencial nestas eleições”, afirmou.