Bolsonaro acaba com voto paritário para Reitor das Universidades Federais

O presidente Bolsonaro editou uma Medida Provisória na véspera de Natal mudando as regras para a escolha de dirigentes das instituições federais de ensino.

A principal mudança é o fim da paridade na comunidade acadêmica. A partir de agora, os votos dos professores tem peso muito maior, de 70% do total. Os estudantes representarão 15% e os técnicos administrativos, representarão os outros 15%.

Além disso a Lista Tríplice não ser mais enviada pelo Conselho Universitário (composto por representantes da comunidade acadêmica), mas será diretamente formado pelos três primeiros votados dessa consulta.

LEIA TAMBÉM
Em queda nas pesquisas, Sérgio Moro tenta explicar por que assinou indulto de Natal

Paraná Pesquisas: Aprovação de Sérgio Moro despenca 23% em apenas um ano

Globo e Folha estudam usar F.B. para abreviar nome de Flávio Bolsonaro

Na prática, o presidente passará a decidir quem será o Reitor ou Diretor da Instituição. O escolhido poderá ser o segundo ou o terceiro colocado na disputa das eleições.

O Presidente da UNE, Iago Montalvão, comentou a MP pelo Twitter:

A íntegra da MP está neste link.