Mujica pede fim do massacre na Bolívia

Publicado em 17 novembro, 2019


José Mujica, ex-presidente do Uruguai, escreveu uma carta neste sábado (16) à presidenta autoproclamada da Bolívia, Jeanine Añez, pedindo que cesse a brutal repressão das Forças Armadas contra os protestos em seu país contra o golpe de estado. Desde que Evo Morales foi obrigado a renunciar no último domingo (10), ao menos 23 pessoas morreram, segundo a OEA.

“Que você escolha ser lembrada como a pessoa que pode parar a repressão contra o seu povo em um momento tão difícil para todos, e assim decidiu fazer. Sabemos que está em suas mãos, que a vontade política é sua”, escreveu Mujica.

“Este é o tempo que você deve escolher como será lembrada por seu povo e pela história, não só do seu país, como também Universal”, afirmou.

LEIA TAMBÉM:

Paulo Coelho denuncia ‘banho de sangue’ contra o povo boliviano

Massacre na Bolívia: Número de mortos sobe para 23, diz OEA

Papa Francisco trocou cartas com ex-presidente Lula durante prisão política; confira

Mujica já havia declarado anteriormente que reconhece o momento político da Bolívia como um golpe de Estado, afirmando que as riquezas do país o fazem desconfiar dos motivos que culminaram nesta situação. “Para mim foi um golpe de Estado, não há muito o que discutir. Por quê? Porque há um ultimato do Exército de que (Evo) deveria sair ou sair, e a polícia se aquartelou, ponto, e como isso se chama?”, questionou Mujica, eleito senador nas eleições de outubro.

Leia a carta de Mijica postada no Twitter: