Por Esmael Morais

Clã Bolsonaro ordenou e Frota expulso do PSL nesta terça

Publicado em 13/08/2019

O PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, decidiu, por unanimidade, nesta terça-feira (13) expulsar o deputado Alexandre Frota (SP). A decisão foi tomada após reunião da sigla em Brasília e anunciada pelo presidente do PSL, Luciano Bivar. A deputada Carla Zambelli fez a defesa do pedido de expulsão, que foi aprovado por unanimidade na executiva do partido bolsonarista.

Nos últimos dias, Frota passou a criticar publicamente as medidas do governo e chegou a declarar que estava decepcionado com Bolsonaro e com a falta de articulação do presidente com os parlamentares.

Em mais de uma ocasião, o parlamentar criticou, por exemplo, a iminente nomeação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos.

Alexandre Frota detona o PSL e sobra até para Bolsonaro

Embaixada do Brasil em Londres “ganha” pichações contra a política ambiental de Bolsonaro

Alexandre Frota também se absteve de votar no segundo turno da Reforma da Previdência na Câmara.

Segundo Luciano Bivar, Frota entrou em “desalinhamento” com o partido pelas “ofensas” que fez recentemente a integrantes do PSL e que, por isso, a desfiliação do parlamentar se justificava.

Ainda de acordo com o presidente do PSL, a expulsão não acarretará na perda do mandato de Frota, que poderá permanecer como deputado em outra sigla. É o primeiro expurgo de um parlamentar no partido controlado pelo clã Bolsonaro.

Frota negocia a sua futura filiação no Democratas com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).