Bolsonaro vai demitir esta semana ‘braço direito’ de Moro no Coaf

Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) vai demitir esta semana o presidente do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Roberto Leonel, com a transferência do órgão para o Banco Central.

Leonel, indicado para o cargo pelo ministro Sérgio Moro, é pivô do escândalo da quebra de sigilos fiscais a pedido do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa Lava Jato. Antes de assumir o Coaf, ele era o chefe da inteligência da Receita Federal em Curitiba.

LEIA TAMBÉM
Lembrança dos anos Kirchner leva jovens a apoiar Alberto Fernández

Bolsonaro & Lava Jato: investimentos no Brasil tem pior desempenho em 70 anos

500 dias: Frente Brasil Popular faz ato de repúdio contra a prisão de Lula

Dentre as pessoas que tiveram ilegalmente o sigilo devassado pela Receita estão o caseiro Maradona, do sítio de Atibaia; dona Marisa Letícia, morta em março de 2018; oito ex-seguranças do ex-presidente Lula; a ex-mulher do ex-deputado Rocha Loures (MDB).

Por Medida Provisória, o Coaf passará a ser chamado de Unidade de Inteligência Estratégica e ficará sob o guarda-chuva do ministro da Economia Paulo Guedes.

Bolsonaro muda o Coaf motivado pela investigação de seu filho, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), no Caso Queiroz. O órgão vazou informações fiscais e bancárias do moço no início deste ano.

Compartilhe agora!