Bolsonaro promete garimpos na Amazônia durante culto evangélico em Brasília

Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou de um culto especial de celebração de 25 anos da Igreja Fonte da Vida. No evento religioso, ele voltou a discorrer sobre minas de nióbio e defendeu a legalização dos garimpos na Amazônia.

“Fizemos uma pesquisa e 70% das pessoas é contra legalizar o garimpo. Mas é preciso conhecer a realidade daquelas regiões. Vão continuar existindo na Amazônia garimpeiros que só sabem fazer isso. A legalização vai dar dignidade a eles”, afirmou Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM
Moro duela com Intercept e Folha pelas redes sociais

Enquete: quanto tempo ainda dura Deltan Dallagnol na Lava Jato?

Lula chama Moro de “promoter” após revelação de palestras ocultas na Lava Jato

Se por um lado o presidente da República advogou pela liberação da exploração da floresta com garimpos, de outro ele permaneceu silente a respeito da liberação da maconha medicinal que poderia salvar vidas e retardar doenças degenerativas como a do general Eduardo Villas-Bôas, ex-comandante-geral do Exército. O militar corre o risco de perder a fala e por isso, em emocionante entrevista ao SBT, disse ser favorável ao uso do canabidiol (princípio ativo da maconha) no tratamento de saúde.

Bolsonaro não tem travas quando o assunto é devastar a Amazônia, mas vive uma contradição incrível entre vida e religião, entre salvar pessoas liberando a droga para uso medicinal e prender usuários de maconha.

Deus está vendo, Senhor Bolsonaro.

Compartilhe agora!