São Paulo desmancha com temporal e prefeito de férias; chuva deixa 12 mortos

As fortes chuvas que atingiram a cidade de São Paulo e o Grande ABC na noite de domingo (10) e na madrugada desta segunda-feira (11) deixaram um rastro de destruição e mortes. Os bombeiros confirmaram 12 mortos e quatro feridos. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) está de férias e o governador João Dória (PSDB) não apresentou nenhum plano concreto para enfrentar a onda de fortes chuvas no estado.

Em São Paulo e na Região Metropolitana, a defesa civil registrou em 12 óbitos,  quatro mortes e dois feridos no desabamento de uma casa após deslizamento de terra em Ribeirão Pires.

Na capital paulista, doze pessoas foram resgatadas – sendo quatro mulheres e oito crianças, segundo o Corpo de Bombeiros. Com o transbordamento do Rio Tamanduateí, a situação na região do Ipiranga, na zona sul da capital, é a mais crítica e a área segue em estado de alerta desde 20h40 deste domingo. As Marginais do Pinheiros e do Tietê estão travadas em diversos pontos e os motoristas saem dos veículos enquanto aguardam o trânsito desafogar.

Em São Bernardo do Campo, um motociclista morreu afogado. Foram registrados na cidade muitos alagamentos e quedas de árvores. Um deslizamento em Embu das Artes teve três vítimas socorridas – sendo uma delas uma criança que veio a óbito no hospital. Santo André teve uma vítima de afogamento e muitos alagamentos. São Caetano do Sul também sofreu com muitos pontos de alagamento.

Além da região metropolitana, a situação mais crítica se deu também no Ipiranga, bairro da zona sul da capital. Desde as 20h deste domingo o bairro está em estado de alerta, que foi mantido na manhã desta segunda. O Córrego do Ipiranga, o Rio Ribeirão dos Meninos e o Rio Tamanduateí transbordaram.

Os temporais deixaram o trânsito caótico em São Paulo nesta segunda, com as Marginais Pinheiros e Tietê travadas.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe agora