Em SP e BH, movimentos retomam luta pela redução da tarifa e do passe livre


São Paulo e Belo Horizonte foram palcos na quinta (10) de manifestações que reivindicam a redução do preço das tarifas do transporte coletivo e pelo passe livre. Em São Paulo, manifestação convocada pelo MPL reuniu 15 mil pessoas contra o aumento das passagens de ônibus, trens e metrô.

Em BH, o Movimento Tarifa Zero ocupou três faixas da Avenida Afonso Pena, centro da cidade, em protesto contra o reajuste de 11% nas tarifas de ônibus do transporte coletivo.

Em São Paulo, a manifestação contra o aumento da tarifa do transporte coletivo foi na Praça Ramos de Azevedo, centro da cidade, reunindo 15 mil pessoas que denunciaram os tarifaços de Bruno Covas (PSDB), prefeito, e de João Dória (PSDB), governador. Os manifestantes querem a revogação do aumento da passagem de ônibus, que subiu de R$ 4,00 para R$ 4,30. Além de protestarem contra o enxugamento de várias linhas.

Em Belo Horizonte, mesmo com a retirada de cobradores pelas empresas e a diminuição de horários em várias linhas, as tarifas subiram de R$ 4,05 para R$ 4,50 (linhas municipais) e de R$ 2,85 para R$ 3,15 (circulares e alimentadoras). O aumento foi definido no dia 26 de dezembro, após reunião da BHTrans com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH).

O Movimento Tarifa Zero fez um estudo que mostrou que a passagem em BH deveria ser R$ 3,45. “Se a prefeitura falou que as empresas estão no prejuízo assim, como é que elas ficaram tantos anos em operação? Caridade é que não foi”, publicou o movimento nas redes sociais.

O movimento trava também uma batalha judicial pela redução das tarifas e prepara novas mobilizações.

O Movimento Passe Livre marcou uma segunda manifestação para o dia 16 de janeiro. A concentração está prevista para às 16h na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista.

Comentários encerrados.