Astronauta manda para o espaço privatização dos Correios

O futuro ministro da Ciência e Tecnologia, astronauta Marcos Pontes, mandou para o espaço a ideia de privatização dos Correios, órgão vinculado à sua pasta.

Tenente-coronel da Aeronáutica, Pontes e os demais militares que ocuparão cargos-chave no governo Jair Bolsonaro são avessos à proposta neoliberal de desregular a economia e entregar setores estratégicos para o capital privado.

LEIA TAMBÉM
Estadão liga Bolsonaro à operação que prendeu 10 deputados no Rio

Em 2015, durante entrevista ao apresentador Jô Soares, na Globo, o próprio Bolsonaro defendeu o fuzilamento de quem pregasse a privatização de estatais.

“Não está na pauta”, disse lacônico o astronauta nesta quinta (6) ao anunciar também que o ensino superior ficará sob sua égide.

A posição do ministro Marcos Pontes acerca das privatizações é curiosa porque mostra como poderá ser o futuro governo Bolsonaro: a cabeça pensa de um jeito (liberal), mas o corpo responde de outro jeito (nacionalista).

Resumo da ópera: o governo Bolsonaro poder ser uma anarquia, no sentido pejorativo (não filosófico).

Comentários encerrados.