Trump manda retirar credencial de jornalista; semelhança com o “Coiso” não é mera coincidência

Qualquer semelhança com o “Coiso” não é mera coincidência. Ontem (7), nos Estados Unidos, a Casa Branca retirou a credencial permanente de Jim Acosta, jornalista da emissora CNN, que numa entrevista coletiva discutiu com o presidente Donald Trump.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro motiva 100 milhões a quererem ir embora do Brasil

Acosta teve sua credencial retirada porque se envolveu em uma discussão com o presidente. Depois de responder a várias de suas perguntas, Trump lhe caçou a palavra.

“Largue o microfone […]. Te direi uma coisa, a CNN deveria estar envergonhada de si mesma por ter você trabalhando para eles. Você é uma pessoa mal-educada e terrível”, disse Trump.

A exemplo do Trump verdadeiro, o nosso “Trump tropical” também é de extrema direita, despreza as minorias, defende porte de armas e não gosta da imprensa.

Jair Bolsonaro (PSL) já impediu jornalistas de participar de coletiva, hostilizou entrevistadores, ameaçou retaliar jornais com corte de verbas de publicidade do governo, entre outras barbaridades.

Enfim, atacou e ataca a imprensa sempre quando julga que a cobertura não lhe é favorável.

Comentários encerrados.