Moro tenta conexão entre sítio de Atibaia, Petrobras e Lula

Ensandecido por mais uma condenação de Lula, o juiz Sérgio Moro tenta estabelecer conexão entre o ex-presidente, o sítio de Atibaia (SP) e propinas na Petrobras.

LEIA TAMBÉM
“Moro privatizou o judiciário e socializou o dano de R$ 40 bi na Petrobras”, diz Reinaldo Azevedo

Lula é mantido preso político há 70 dias na carceragem da Polícia Federal de Curitiba. Ele já foi condenado sem prova por Moro no caso do tríplex no Guarujá (SP).

Em ofício enviado a Dias Toffoli, ministro do STF, o juiz da lava jato escreve:

“Cumpre ainda destacar que o relevante é determinar se acertos de corrupção em contratos da Petrobras figuram entre as causas das reformas do sítio em Atibaia. Não parece ser necessário demonstrar que teriam sido especificamente utilizados, nas reformas, os mesmos valores recebidos pelo Grupo OAS ou pelo Grupo Odebrecht da Petrobrás para custeá-las, uma vez que o dinheiro é fungível, mistura-se na rede bancária e é objeto de operações de compensação em contas de um grupo empresarial”, afirma Moro.

No fim de abril deste ano, Toffoli determinou que as delações relativas ao sítio de Atibaia fossem encaminhadas para o foro de São Paulo, retirando assim a competência do juízo da 13ª Vara Federal do Paraná, qual seja, a lava jato do juiz Sérgio Moro.

“Se esses elementos são suficientes ou não para a vinculação das reformas do Sítio a acertos de corrupção em contratos da Petrobras, ainda é uma questão a analisar na ação penal e nas exceções de incompetência”, pede Moro no ofício ao ministro do STF.

O Supremo ainda decidirá sobre a incompetência ou não de Moro para julgar Lula no caso do sítio Atibaia.

Resumo da ópera: o juiz Sérgio Moro não abre mão de julgar petistas, mas em relação aos tucanos…

Comentários encerrados.