Delegado da PF pediu prisão de Temer, Alckmin e Aécio

Publicado em 9 abril, 2018

O k-suco ferveu na Polícia Federal nas últimas horas, pois o delegado Milton Fornazari Junior, ex-chefe da seção de combate à corrupção e ao crime organizado de São Paulo, defendeu nas redes sociais a prisão de Michel Temer (MDB), Aécio Neves (PSDB) e Geraldo Alckmin (PSDB).

LEIA TAMBÉM
Ou Moro prende políticos do PSDB ou Moro se desmoraliza ainda mais

Do ponto de vista do fetiche da PF e do punitivismo, se o juiz Sérgio Moro não quiser se desmoralizar ainda mais, terá de engaiolar o trio de golpistas. Mas seria uma violência tal qual a que prendeu o ex-presidente Lula no sábado (7), registre-se.

Fornazari Junior apagou a postagem que fez e a PF saiu em socorro de Temer, Aécio e Alckmin dizendo, em nota, que o delegado não fala pela instituição. “A PF jamais se manifesta oficialmente por meio de perfis pessoais de seus servidores”, desautorizou.

O delegado Fornazari Junior escreveu neste domingo (8) no Facebook, mas apagou horas depois, que depois da prisão do ex-presidente Lula “[Agora] é hora de serem investigados, processados e presos os outros líderes de viés ideológico diverso que se beneficiaram dos mesmos esquemas ilícitos que sempre existiram no Brasil (Temer, Alckmin, Aécio etc).”

Comments are closed.