Deputados que votaram pela investigação de Temer entram com mandado contra punição no PMDB

Os deputados suspensos do PMDB, por terem votado favoravelmente à investigação do ilegítimo Michel Temer (PMDB), na Câmara, entrarão com mandado de segurança na segunda-feira (14) contra o presidente da sigla Romero Jucá (PMDB-RR).

O PMDB suspendeu por 60 dias, de suas funções partidárias, os seguintes deputados: Celso Pansera (PMDB-RJ), Laura Carneiro (PMDB-RJ), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Sergio Zveiter (PMDB-RJ), Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB) e Vitor Valim (PMDB-CE).

No último dia 2 de agosto, o plenário da Câmara livrou Temer de investigação por corrupção passiva pelo placar de 263 votos favoráveis ao parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomendava o arquivamento da acusação formal da PGR, e 227 contrários.

“O PMDB, em cumprimento à decisão unânime da Comissão Executiva do partido, suspendeu por 60 dias, de suas funções partidárias, os deputados que votaram a favor da denúncia do presidente da República, Michel Temer. Esta decisão foi tomada por descumprimento dos parlamentares ao fechamento de questão sobre o assunto em reunião realizada no dia 12 de julho, em Brasília. O ato de suspensão já foi comunicado a todos os filiados e ao Conselho de Ética do partido”, comunicou Romero Jucá.

Na manhã desta sexta-feira (11), o senador Roberto Requião (PMDB-PR), também ameaçado de punição por Jucá, gravou um vídeo em solidariedade aos parlamentares suspensos. Assista:

Comentários encerrados.