Na Turquia, juízes pró-golpe de Estado vão para a cadeia. No Brasil, são heróis?

golpe_turquiaO presidente da Turquia Tayyip Erdogan determinou neste sábado (16) a prisão de 2.745 juízes e promotores, após a tentativa de golpe de Estado. Segundo o presidente turco, o clérigo Fethullah Gulen, uma espécie de Michel Temer de lá, que vive em um exílio auto-imposto nos EUA, estaria tentando criar uma “estrutura paralela” no judiciário e no exército para tentar derrubar o governo constitucional. Qualquer semelhança com o Brasil…

Turquia prende 2.745 juízes e promotores após golpe fracassado

ISTAMBUL (Reuters, via Brasil 247)

As autoridades da Turquia ordenaram neste sábado a prisão de 2.745 juízes e promotores, após a tentativa de golpe militar, disse a emissora NTV, à medida em que o governo segue com punições a suspeitos de seguirem o clérigo Fethullah Gulen, que mora nos Estados Unidos.

O presidente Tayyip Erdogan afirmou que os seguidores de Gulen estão por trás do golpe da sexta-feira à noite que tentou tirá-lo do poder.

Erdogan disse que o clérigo, que vive em um exílio auto-imposto nos EUA, está tentando criar uma “estrutura paralela” no judiciário e no exército para tentar derrubar o Estado, o que Gulen nega.

(Reportagem de Gulsen Solaker, Asli Kandemir e Ece Toksabay)

Comentários encerrados.