No Ecomuseu, Marcos Sá Corrêa expõe paixão pelo Parque Nacional do Iguaçu

materia 18.marcos sa correa 1Até setembro, os moradores de Foz do Iguaçu e os visitantes poderão conhecer um pouco do trabalho do jornalista e fotógrafo carioca Marcos Sá Corrêa, que passou um ano morando no Parque Nacional do Iguaçu, para registrar a exuberência e detalhes de um cenário único no mundo. O Ecomuseu abriu em março a exposição “Caminhos e Pegadas”, que traz 107 das mais de 5 mil fotos que Marcos produziu.

As fotos revelam, além de qualidade técnica, a sensibilidade do artista capaz de perceber a beleza tanto na paisagem fantástica das Cataratas como na teia de uma aranha ou nas pegadas deixadas no meio da mata por bichos e por gente que se especializou em estudá-los. Marcos, que se encantou com o parque desde que foi convidado a escrever um livro sobre ele (“Meu vizinho, o Parque Nacional do Iguaçu”, em parceria com o historiador Lorenzo Aldé), reúne na mostra suas duas grandes paixões: a natureza e a fotografia. E o resultado é espetacular.

Marcos veio a Foz do Iguaçu, em 2008, justamente para escrever o livro, a convite do superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla. Os dois eram amigos desde os tempos em que trabalhavam em jornalismo-on line. Aqui, feito o livro, Marcos decidiu passar um período dentro do Parque Nacional do Iguaçu, para produzir textos e fotos, que publicaria em seu blog e em reportagens especiais.

materia 18.marcos sa correa 2Durante um ano, ele morou no quarto de hóspedes da casa do chefe do Parque Nacional do Iguaçu, que na época era Jorge Pegoraro. À esposa, Ângela, e aos amigos, Marcos, dizia que aquele foi “o melhor ano” de sua vida. Era tanta paixão que, em seu diário, Marcos registrou o que sentiu quando estava no local chamado Poço Preto. “De repente, ouvindo os pássaros, me deu uma certeza de que vou sentir saudade de tudo isso”, escreveu Marcos.

Vítima de um acidente doméstico, hoje Marcos pouco consegue se comunicar, mas manifestou muita alegria quando veio a Foz do Iguaçu para participar da abertura de sua exposição. Não à toa. Ali está a realização de seu sonho de adolescente.

É que, antes de firmar-se como um dos melhores jornalistas do Brasil, Marcos queria ser fotógrafo. Ele passou pelas mais importantes redações de jornais e revistas do Brasil e explorou o jornalismo on-line, com textos aparentemente simples, mas que exigem um grande talento de contador de histórias. Inclusive, foi um dos criadores do site de jornalismo ambiental O Eco, junto com o jornalista Kiko Brito e o cientista político Sérgio Abranches.

Mas foi no Parque Nacional do Iguaçu que ele voltou a reunir suas duas paixões, fotografia e natureza. Mais ou menos como fez quando tinha apenas 17 anos e suas fotos (e textos) sobre o Parque Nacional Itatiaia (RJ) foram publicados pela então conceituada revista Manchete.

Serviço

Mostra Caminhos e Pegadas, de Marcos Sá Corrêa

Data: a partir de 22 de março de 2016 (ficaráem cartaz por pelo menos seis meses)

Local: Ecomuseu de Itaipu (Avenida Tancredo Neves, 6001 –Foz do Iguaçu. Telefone: 0800 645-4645)

Horário: terça a domingo, das 8h às 16h30

Comentários encerrados.