Mesquinho, golpista Temer também corta a comida de Dilma

Dilma_Porto_Alegre

O presidente interino Michel Temer (PMDB) decidiu radicalizar a luta para manter-se no poder a qualquer custo. A penúltima dele foi cortar a comida no Palácio Alvorada, residência oficial da presidente eleita Dilma Rousseff.

Antes, porém, Temer determinou que os aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) só façam o trajeto com a presidente eleita entre Porto Alegre e Brasília. Dilma protestou porque a Constituição lhe assegura essa distinção como medida de segurança.

A baixaria do golpista Temer se intensificou do meio da semana para cá diante da possibilidade cada vez maior de o Senado rejeitar o afastamento definitivo de Dilma.

Pensando bem, Temer é o governo do corte: corta o Minha Casa Minha Vida, o Bolsa Família, o SUS, FIES, os recursos para a educação, enfim, corta até a comida de Dilma.

O governo provisório desmancha-se como se fosse um castelo de cartas, devido sua inconsistência e por ser danoso aos interesses da nação.

A metástase corrói o interino. O tempo o depõe. Por isso, Temer luta para antecipar a votação do impeachment.

Paralelamente, os barões da velha mídia golpista — atuando como cães de aluguel — intensificaram a ‘putaria’ disfarçada de jornalismo na tentativa de puxar para a lama Dilma.

O objetivo é rolar no chão a presidente eleita com os corruptos que tomaram o poder de assalto há 23 dias.

Comentários encerrados.