Movimentos sociais põem nas ruas brigadas contra o golpe em todo país

Frente Brasil Popular (FBP) orientou ontem (6) à noite como deverão ser as mobilizações dos movimentos sociais – nos próximos dias -- contra o golpe e a favor da democracia em todo o país; ocupação das ruas começa já neste domingo (10), em Brasília, quando trabalhadores sem-terra tomarão conta da Esplanada dos Ministérios para aguardar chegada de caravanas de militantes que ali também acamparão até a votação do impeachment na Câmara; paralelamente, haverá nos estados abordagens de parlamentares nos aeroportos pressionando-os pelo voto contra o golpe; dia 15 de abril, está prevista uma “Jornada Nacional de Mobilização contra o Golpe”, que consistirá no fechamento de estradas, paralisações e assembleias em fábricas, dentre outras ações de impacto a serem definidas nos estados; "Dia D", dia 17 de abril, quando deverá ser votado o relatório do impeachment na Câmara, além da concentração em Brasília, ocorrerão mobilizações em diversas cidades do país. Essas manifestações dar-se-ão em locais públicos.

Frente Brasil Popular (FBP) orientou ontem (6) à noite como deverão ser as mobilizações dos movimentos sociais – nos próximos dias — contra o golpe e a favor da democracia em todo o país; ocupação das ruas começa já neste domingo (10), em Brasília, quando trabalhadores sem-terra tomarão conta da Esplanada dos Ministérios para aguardar chegada de caravanas de militantes que ali também acamparão até a votação do impeachment na Câmara; paralelamente, haverá nos estados abordagens de parlamentares nos aeroportos pressionando-os pelo voto contra o golpe; dia 15 de abril, está prevista uma “Jornada Nacional de Mobilização contra o Golpe”, que consistirá no fechamento de estradas, paralisações e assembleias em fábricas, dentre outras ações de impacto a serem definidas nos estados; “Dia D”, dia 17 de abril, quando deverá ser votado o relatório do impeachment na Câmara, além da concentração em Brasília, ocorrerão mobilizações em diversas cidades do país. Essas manifestações dar-se-ão em locais públicos.

A Frente Brasil Popular (FBP) orientou ontem (6) à noite como deverão ser as mobilizações dos movimentos sociais – nos próximos dias — contra o golpe e a favor da democracia em todo o país.

A FBP é entidade guarda-chuva que reúne milhares de organizações de trabalhadores, estudantes e sem tetos, enfim, fora constituído para barrar o golpe e avançar a luta dos brasileiros por mudanças, sobretudo, na economia.

Explicado isto, vamos ao plano de mobilização da Frente.

Já neste domingo (10), os trabalhadores sem-terra tomam conta da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, onde eles aguardarão a chegada de caravanas de militantes que ali também acamparão até a votação do impeachment na Câmara.

Paralelamente, haverá nos estados abordagens de parlamentares nos aeroportos pressionando-os pelo voto contra o golpe.

Na semana que vem, dia 15 de abril, está prevista uma “Jornada Nacional de Mobilização contra o Golpe”, que consistirá no fechamento de estradas, paralisações e assembleias em fábricas, dentre outras ações de impacto a serem definidas nos estados.

No “Dia D”, dia 17 de abril, quando deverá ser votado o relatório do impeachment na Câmara, além da concentração em Brasília, ocorrerão mobilizações em diversas cidades do país. Essas manifestações dar-se-ão em locais públicos.

Comentários encerrados.