Polêmica dos outdoors “contra privilégios deficientes” chega à Assembleia Legislativa do Paraná

requiaofilho_outdoor_fruetO deputado estadual Requião Filho (PMDB), ao Blog do Esmael, nesta quarta-feira (2), adiantou que pedirá da tribuna esclarecimentos à Prefeitura de Curitiba sobre a campanha contra os deficientes espalhada em outdoors na capital paranaense e nas redes sociais.

O parlamentar quer saber quanto custou, quem pagou, onde foi veiculada e qual o resultado prático além do ódio despertado pela errante campanha da equipe do prefeito Gustavo Fruet (PDT).

“O Gustavo Fruet faz falta no parlamento. Ele poderia ser um bom deputado estadual, nosso colega aqui na Assembleia, mas como chefe do executivo…”, disse Requião Filho.

Após um dia repercutindo negativamente a campanha que pede o “fim dos privilégios para deficientes”, a Prefeitura de Curitiba assumiu a autoria da peça que cheira a fascismo.

“Se o objetivo era causar repulsa, desaprovação, ódio e arranhar a imagem do prefeito, parabéns, atingiu-se o objetivo”, ironizou o deputado do PMDB, que é pré-candidato à Prefeitura de Curitiba.

Para Requião Filho, nem os marqueteiros de D. Pedro seria tão ineficientes. “A comunicação é um reflexo da equipe toda”, comparou.

11 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to mention I am just very new to weblog and definitely enjoyed your web page. Likely I’m likely to bookmark your site . You amazingly have beneficial posts. Many thanks for sharing your blog site.

  2. Com a palavra o senhor secretário de Comunicação Social Paulo Vítola !

  3. Ô “deputaiada”, esse assunto é municipal, coisa de
    vereador, entenderam?
    Pegar carona na infeliz gestão municipal, para posar
    de “defensor bonzinho” dos deficientes, é pura
    demagogia.
    Enquanto isso o beto rixa dilapida o patrimônio e
    imóveis do Paraná, e vocês aprovam.
    Aja saco!

  4. Enquanto isso ficamos sem transporte público na terça feira e o mimimimimimimi da tarifa continua na próxima semana haja paciência.

  5. Gastaram uma grana à toa, o deficiente não precisa de campanhas, precisa é de que o estado lhe dê atenção, escolas especializadas, oportunidades de emprego, ajuda de custo para aqueles que não podem trabalhar, em Curitiba não dão transporte gratuito aos deficientes; quanto às vagas de estacionamento, se alguém estacionar lá indevidamente, multe o carro, não é um autidorzinho besta que fará um folgado mudar de idéia.

    Esse blá blá blá só serve para politiqueiros fazerem autopromoção, dizer que são sensíveis e só!

  6. Esse outdoor correu Brasil a fora nessa segunda feira de manhã, foram milhões de pessoas que virão, e não faltaram Comentários tipo, “TINHA QUE SER DE CURITIBA” isso pegou mal para a imagem da cidade que alguns se orgulha de ser a capital dos reacionários, TEM GENTE QUE ACHA BONITO SER FEIO, já as declarações da Mirella Prosdocimo não teve e nem terá o mesmo alcance do Outdoor, foi um absurdo e é isso que ficara na cabeça dos Brasileiros, já pensou alguém fazendo uma gracinha dessa com a Pedofilia e o Racismo??? esse material e maravilhoso para ser usado na DESCAMPANHA ELEITORAL DO GUSTAVO FRUET EM 2016, estou até vendo vocês explicando para os eleitores de Curitiba.

    ISSO NÃO EKESISTE!!!!

  7. Realmente essa propaganda poucos vão entender o real sentido..

    E requião filho, se preocupe com algo que traga algum beneficio a população paranaense, e não fique apenas “sonhando” com a prefeitura!!! abs

  8. A campanha “pegadinha” foi aprovada por pessoas portadoras de deficiência, dizer mais o quê? Teve grande repercussão e os idealizadores conseguiram chamar a atenção da população para a questão a ser debatida. Outro tipo de campanha, dificilmente teria conseguido tanto sucesso. Parabéns à Mirella Prosdocimo!

  9. Estão no poder pessoas muito estúpidas, a ponto de fazer uma campanha desse naipe. É o poder que deixa as pessoas estúpidas ou é a estupidez que as leva ao poder?

  10. O deputado que desça do palanque e vá cuidar de assuntos do seu interesse. Ele que vá tratar da expulsão do Romanelli do PMDB, por exemplo, entre outros. Ele é deputado, não vereador ou candidato a prefeito.