De olho na SEDU, Barros empurra Ratinho para o ringue da Assembleia

barros_ratinho_traiano.jpgO deputado federal Ricardo Barros (PP), conhecido por motivos óbvios nos meios políticos como “Leitão Vesgo*”, estaria empurrando o deputado estadual eleito Ratinho Júnior (PSC) para a disputa da presidência da Assembleia Legislativa do Paraná, em fevereiro, porque estaria de olho na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU). A pasta já foi ocupada por Ratinho e hoje é feudo do PSC, mas a ideia de Barros seria agasalhar seu irmão, o ex-prefeito de Maringá Silvio Barros II (PHS).

Ontem pela manhã, deputados avaliavam que Ratinho Júnior desistirá da corrida pelo comando da Assembleia assim que acerte espaços no governo até o próximo dia 15 de dezembro quando o governador Beto Richa (PSDB) anunciar o novo secretariado (clique aqui). Para os deputados, se Ratinho perder o time o “Leitão Vesgo”, que é marido da vice-governadora eleita Cida Borghetti (PROS), toma-lhe o pouco que tem.

“Mesmo que ele mantenha a candidatura contra o [Ademar] Traiano, que é candidato do Palácio Iguaçu, nas melhores das hipóteses, Ratinho teria um teto de 18 votos. Ele perdeu o bonde quando não quis ser o vice de Beto Richa”, avaliou um parlamentar, que pediu anonimato.

“Depois da eleição, enquanto Traiano trabalhava, Ratinho tirava férias de 20 dias no exterior. Quando voltou já estava articulada a mesa da Assembleia, inclusive com o PMDB”, conta o mesmo deputado.

No domingo (23), o Blog do Esmael já fez a pergunta: Por que raios o PP de Ricardo Barros, com 4 deputados, iria dar milho para bode? Ou seja, por que fortalecer Ratinho que vai concorrer muito em breve com sua esposa ao Palácio Iguaçu? Seria como criar corvos para comer-lhes os olhos mais adiante (clique aqui).

*”Leitão Vesgo”: Aquele que mama numa teta de olho em outra.

Comentários encerrados.