Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Prefeita do PSDB ensina tucano Beto Richa: “é possível dar aumento de até 19% para educadores”

Como a prefeita de Colombo, Beti Pavin, do PSDB, consegue conceder o maior reajuste do país a educadores, entre 12% e 19%, quando Beto Richa, do mesmo partido, não consegue nem pagar o salário básico dos servidores estaduais? Enquanto governador e seu vice, Flávio Arns,  secretário da Educação, aplicam sucessivos calotes no magistério, a tucana da região metropolitana de Curitiba ensina como administrar o orçamento sem precisar quebrar a máquina pública.

Como a prefeita de Colombo, Beti Pavin, do PSDB, consegue conceder o maior reajuste do país a educadores, entre 12% e 19%, quando Beto Richa, do mesmo partido, não consegue nem pagar o salário básico dos servidores estaduais? Enquanto governador e seu vice, Flávio Arns, secretário da Educação, aplicam sucessivos calotes no magistério, a tucana da região metropolitana de Curitiba ensina como administrar o orçamento sem precisar quebrar a máquina pública.

O governador Beto Richa e seu vice e secretário da Educação, Flávio Arns, do PSDB, não costuma cumprir acordos firmados com os servidores públicos, segundo a APP-Sindicato que representa 100 mil educadores da ativa no Paraná.

Pois bem, a prefeita Beti Pavin, do PSDB, do município de Colombo, região metropolitana de Curitiba, aplica lição nos companheiros de ninho. A moça encaminhou projeto de lei à  Câmara de Vereadores propondo aumento salarial de 19% para à  carreira de educador e de 12% para a de professor.

Enquanto a prefeita tucana concede aos educadores colombenses o maior reajuste salarial do país, retroativo a 1!º de janeiro de 2014, Richa não consegue cumprir a Lei do Piso, que prevê a hora-atividade, por exemplo.

De acordo com a APP-Sindicato (clique aqui), professores e funcionários das 2,1 mil escolas da rede pública estadual não aceitarão mais uma vez o descumprimento da Lei que estabelece os 33,3% e o não pagamento dos avanços atrasados. A entidade sindical calcula que o governo tucano lhe aplica calote de cerca de R$ 80 milhões.

Os profissionais do magistério paranaense farão valer na prática a Lei do Piso nos dias 11, 19, 27 de fevereiro e 07 de março.

Os professores contratos em regime PSS (Processo Seletivo Simplificado) também estão revoltados com a dupla Arns/Richa. Eles denunciam erros no contracheque de acerto relativo ao exercício de 2012. “Os pagamentos saíram pela metade”, acusam.

“Com o propósito de promover a valorização dos profissionais do magistério municipal, este aumento salarial destinado a estas categorias previsto no projeto de lei faz parte do orçamento próprio do município”, afirmou a prefeita Beti Pavin, ensinando ao governador e seu vice como se administra sem precisar quebrar o erário.

Comentários desativados.