Fiasco no lançamento da “Operação Verão” nas praias do Paraná

Publicado em 23 dezembro, 2013
Compartilhe agora!

por Marcelo Elísio, direto das praias – Caderno Litoral

Marcelo Elísio, direto das praias, especial para o Caderno Litoral do Blog do Esmael, analisa o lançamento oficial da "Operação Verão 2014" na última sexta (20): "Foi um tremendo fiasco", relata o colunista em seu blog; show pirotécnico, com direito a helicóptero, era para compensar a falta de público; governo Beto Richa privatizou o programa "Viva o Verão", que agora é realizado com repasses de dinheiro público à s emissoras de tevê privadas; no governo anterior, acadêmicos de Educação Física, através da Secretaria de Esportes e das universidades, é quem comandavam as atividades no Litoral.
Marcelo Elísio, direto das praias, especial para o Caderno Litoral do Blog do Esmael, analisa o lançamento oficial da “Operação Verão 2014” na última sexta (20): “Foi um tremendo fiasco”, relata o colunista em seu blog; show pirotécnico, com direito a helicóptero, era para compensar a falta de público; governo Beto Richa privatizou o programa “Viva o Verão”, que agora é realizado com repasses de dinheiro público à s emissoras de tevê privadas; no governo anterior, acadêmicos de Educação Física, através da Secretaria de Esportes e das universidades, é quem comandavam as atividades no Litoral.
Uma falácia o lançamento da Operação Verão pelo Governador Beto Richa. Em seu discurso diz o seguinte: Essa será, sem dúvida, a maior Operação Verão já realizada no Paraná!; Como assim?! O Discurso é um, a realidade é outra, quando escuto alguns políticos falarem à  impressão que tenho é de que não estamos falando do mesmo lugar, depois do que ouvi na tarde de sexta feira na Praça de Ipanema, cheguei à  conclusão de que não estamos falando mesmo…

O Governador fala da Operação Verão como se nada tivesse existido antes dele, como se outrora não existisse o “Viva o Verão”, que basicamente fazia o que é feito, entretanto com atividades de Esporte e Lazer na beira mar, Cultura com programação Musical e o Projeto Biblioteca na Areia. Esses projetos só permaneceram no seu primeiro ano de mandato para dar continuidade à s atividades iniciadas pelo governo anterior, ou seja, uma ação que crescia a cada ano foi extinta.

Outro que fez um discurso inflamado e parecia morar em outra galáxia, foi o Deputado Mauro Moraes (Presidente da Comissão de Segurança na Assembleia), falou de segurança publica como se ninguém soubesse das dividas do estado, de viaturas ficando pelo caminho por falta de combustível e da insatisfação da classe com as condições de trabalho.

O Público

Chamou atenção, pois era pouco, o que fez volume foi todo o aparato ou parte dele que ficou a mostra, dezenas de viaturas, alguns tratores, jet-skis e até um helicóptero ficou a mostra, ruas fechadas no entorno da praça e também todos os que vão trabalhar na Operação Verão, homens da Policia Militar, Civil, do Corpo de Bombeiros, Agentes da Saúde, e a equipe de Limpeza.

Cadê o deputado Alceu?

Uma situação me chamou atenção, o Deputado do Litoral! Alceu Maron Filho não esteve presente para fazer o uso da palavra, daí fui conversar com um amigo que entende de política pra me explicar isso, porque o Mauro Moraes, e o Alceu Maron não? à‰ porque o Mauro Moraes (661) teve mais votos em Pontal do que o Alceu (515) na ultima eleição, logo Mauro Moraes tem o “mando político” de Pontal. Entende?! Tipo gado.

Poste urinar no cachorro

Vocês já viram um poste urinar no cachorro, pois bem, isso mais ou menos aconteceu… no final quando já tinha ido quase todo mundo embora, o Bolo do Aniversário de 18 anos de Pontal já tinha acabado, a estrutura sendo desmontada, um cidadão foi questionar o Prefeito Edgar Rossi sobre a sua rua que não estava bem mantida pela prefeitura e que estava pior do que o ano passado!,(uma situação normal para um prefeito) este, estava pior do que o ano passado!, não pegou bem no orgulho do prefeito que levantou a voz para o cidadão, que espantado com a reação do prefeito continuou a questiona-lo, em algum tempo os assessores retardatários na interferência chegaram, afastaram o Prefeito e continuaram a conversa com o cidadão. Passado um tempo o cidadão foi novamente hostilizado pela prefeitura, desta vez através de um Diretor que foi em direção ao cidadão, dizendo que ele tinha tido sorte em não estar sozinho com o prefeito porque ele poderia ter se descontrolado e partido pra cima dele!… Vê se pode? Daí pra frente foi só baixaria, no final o cidadão, já virando vitima, decidiu ir registrar um B.O. por ameaça.

Compartilhe agora!

Comments are closed.