Greve de motoristas e cobradores, depois vem aumento na tarifa de ônibus em Curitiba

Motoristas e cobradores querem 15% de aumento salarial, patrões oferecem 8,02%; indicativo de greve da categoria pode antecipar reajuste na tarifa do ônibus.

Motoristas e cobradores querem 15% de aumento salarial, patrões oferecem 8,02%; indicativo de greve da categoria pode antecipar reajuste na tarifa do ônibus.

O script é muito manjado, mas funciona bem. Primeiro, os empresários do transporte coletivo choram (e como choram!) publicando nota oficial em jornal. Depois os trabalhadores, motoristas e cobradores, fazem justa reclamação de seus salários defasados. Na sequência, vem a tungada nos usuários do sistema com a elevação do preço da tarifa do ônibus.

Motoristas e cobradores já recusaram a proposta dos patrões de reajuste de 8,02% em assembleia pela amanhã. A categoria ainda se reúne à s 15 horas e à s 21 horas desta segunda-feira (11). Eles reivindicam 15% de aumento salarial e de 100% no auxílio-alimentação.

Para evitar a greve, ou depois que ela for deflagrada, muito provavelmente, a prefeitura de Curitiba cederá a grita do empresariado.

Agora, pode aumentar o preço da passagem de ônibus sem antes abrir a “caixa-preta” da Urbs, a empresa que gerencia o transporte coletivo na capital?

Comentários encerrados.