Advogado que “luta” pela redução de 21 para 13 vereadores ganha teta comissionada na Câmara de Colombo

Vereadores ameaçados de perder mandato contratam em cargo de confiança advogado que é autor de ação popular para reduzir de 21 para 13 cadeiras.

Vereadores ameaçados de perder mandato contratam em cargo de confiança advogado que é autor de ação popular para reduzir de 21 para 13 cadeiras.

Os vereadores de Colombo, na região metropolitana de Curitiba, não querem mesmo dar sorte ao azar.

O presidente do legislativo colombense deu uma teta comissionada de presente ao advogado Anderson Cunha Moreira, símbolo DAS-2, conforme a portaria n!º 021/2013, do dia 4 de março último. A nomeação foi publicada no jornal Colombo Metrópole, edição de 5 de março.

Afinal, quem é Anderson Cunha Moreira? Ora, o advogado que move ação popular justamente contra a Câmara de Colombo referente o aumento de 13 para 21 cadeiras naquela Casa (clique aqui para entender o caso).

Moreira representa o autor da ação popular, Jair Pedro Sachet, conforme consta no processo n!º 0004763-22.2012.8.16.0028 (até a última sexta-feira, 22, o advogado continuava à  frente da demanda judicial contra a Câmara).

A pergunta que não quer calar: como o advogado vai defender a Câmara se processa a mesma? Ou, será que houve algum acordo para que o causídico coloque o pé no freio?

Se realmente a Câmara tiver que reduzir de 21 para 13 vereadores, como decidiu a Justiça na primeira instância, o presidente José Renato “Pelé” Strapasson (PTB), e Waldirlei Bueno de Oliveira (PMDB), ambos aliados da prefeita Beti Pavin (PSDB), ficam de fora desta legislatura, pois seus respectivos partidos não alcançaram o número suficiente de votos para eleger um vereador.

Por fim, cabe mais uma pergunta: ao nomear o advogado Anderson Cunha Moreira estaria o presidente da Câmara, o Pelé, legislando em causa própria?

Comentários encerrados.