Maconha, cotas raciais, homossexualismo e aborto marcaram debate em Cascavel

por Laís Laíny, via Jornal Hoje

Lemos e Edgar debateram ontem na TV Tarobá (afiliada da TV Bandeirantes).

Frente a frente pela penúltima vez antes da eleição, neste domingo, os candidatos a prefeito de Cascavel, Edgar Bueno (PDT) e Professor Lemos (PT), foram testados sobre temas polêmicos à  sociedade. Drogas, aborto, cotas raciais e até a inserção de conteúdos sobre gêneros e diversidade sexual apimentaram o debate promovido ontem à  noite pela TV Tarobá.

Os dois candidatos tiveram posicionamentos opostos quanto aos tabus e a repercussão foi imediata nas redes sociais.

Edgar Bueno foi o primeiro a responder. Sobre o aborto e a descriminalização do uso da maconha, o atual prefeito se disse favorável aos dois temas.

Sou a favor do aborto e à  descriminalização da maconha!.

No primeiro momento, afirmou que quem usa drogas é uma vítima e que o crime deve ser atribuído a quem a comercializa. Não se pode punir os usuários!.

Minutos depois, os internautas se manifestaram ironizando que o atual prefeito seria a favor do uso de drogas. No bloco seguinte, ele retomou o assunto e explicou em quais situações é favor do aborto e reforçou seu entendimento sobre as drogas.

Temos que descriminalizar a dependência química e o aborto somente para mulheres que correm risco de vida. à‰ uma coisa que precisa ser bem estudada!, disse Edgar.

Já o Professor Lemos teve uma resposta diferente.

Não defendo aborto, sou a favor da vida. Quanto à s drogas, precisamos combater a droga, não temos que ficar distribuindo para nossas crianças!.

Outro tema de grande discussão é a reserva de cotas para negros nas universidades. Os postulantes também se manifestaram com opiniões contrárias. Edgar disse ser contra e Lemos, a favor.

Sou contra cota para negros. Isso é um Apartheid e uma forma de segregar ainda mais!, respondeu o candidato à  reeleição.

Sou a favor porque temos uma dívida com a população negra. O Brasil foi o país que mais explorou os negros mesmo depois da abolição da escravatura!.

DIVERSIDADE

O terceiro tabu abordado no debate foi sobre a inclusão de assuntos ligados à  diversidade e à  orientação sexual no currículo escolar. Edgar se disse contrário.

As crianças não estão preparadas para tratar desse assunto. Cada um tem no seu tempo a oportunidade de respeitar a opção sexual!.

Já Lemos entende que seja necessário preparar os professores para lidar com a questão.

Defendo que os professores recebam a formação adequada para que estejam preparados, respeitando a idade e o gênero!.

ATAQUES

A quantidade de ataques entre os candidatos foi menor em relação aosdebates anteriores, mas não deixaram de ocorrer. Edgar Bueno, a cada oportunidade, relembrava acusações de que Professor Lemos (PT) não mora em Cascavel e também citou o julgamento do mensalão.

O candidato petista, por sua vez, frisou que Edgar já teve oportunidade de cumprir suas promessas, mas não o fez. Ele também citou denúncias de corrupção e até relembrou o caso da mãe que foi impedida de assumir o cargo de professora pois tinha dado à  luz meses antes de ser convocada em concurso público.

Houve apenas um pedido de direito de resposta feito pela coligação de Edgar Bueno, o qual foi indeferido pela Comissão Eleitoral da OAB.

Comentários encerrados.