Rafael Greca promete setorizar reciclagem de lixo em Curitiba

No Bairro Novo, Greca foi recebido por moradores e funcionários de fábrica de equipamentos para cozinhas industriais. Foto: Freddy Pinheiro.

Em reunião com moradores do Bairro Novo e funcionários da fábrica de equipamentos para cozinhas industriais Multicoifas, o candidato a prefeito de Curitiba pelo PMDB, Rafael Greca, prometeu criar um plano de zoneamento urbano na cidade para a instalação de barracões industriais de reciclagem.

A ação pretende setorizar a indústria da reciclagem, em cada uma das regionais da capital paranaense, evitando, assim, o funcionamento dos hangares de separação e destinação de lixo em áreas urbanas, próximos de casas e do comércio popular.

Os barracões de reciclagem pedem uma área menos urbanizada e não podem funcionar no meio dos bairros, próximo à s residências das pessoas e ao comércio por uma questão de higiene e saúde pública. Por isso, vamos criar um zoneamento urbano para o setor da indústria da reciclagem em cada regional do município!, destacou Greca.

O candidato do PMDB visitou o Bairro Novo, na região do Sítio Cercado, na noite de terça-feira (31 de julho). Na fábrica de equipamentos para cozinhas industriais, foi recebido pelo proprietário Maciel Alcino.

Reivindicação comunitária

O projeto de Rafael Greca converge à s reivindicações dos moradores do Bairro Novo. Segundo o candidato a vereador pelo PMDB Batista, que reside na localidade, vários barracões de lixo funcionam nas adjacências do bairro, perto de casas e do comércio.

O Bairro Novo cresceu e se valorizou com as áreas comerciais. Esses barracões de reciclagem no meio das residências prejudicam o desenvolvimento do bairro e podem trazer muitos problemas para a saúde pública!, disse Batista.

Da mesma opinião compartilha o mecânico Gilsimar Nunes. Segundo ele, o Bairro Novo não precisa de barracões de reciclagem, mas de novas unidades de saúde e de creches para atender a população!.

Para o empresário e proprietário da fábrica Multicoifas, falta planejamento no município para a instalação de unidades de reciclagem. Por isso, disse ele, acredito na proposta do Greca de setorização para a instalação dos galpões de lixo, porque não basta inovar, é preciso inovar de uma forma positiva, como neste caso!, concluiu Maciel Alcino.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. “Plano de separação: o lixo importado vai para um lado qenquanto o lixo de classe média pra outro e o dos pobre q fique por lá mesmo”

  2. Um candidato depende e muito do apoio e da união de seu partido tambem! Um partido muito unido e determinado por inteiro a melhorar uma cidade com certeza consegue grande sucesso…o problema é que nao vejo esa uniao por parte do PMDB, dessa maneira eu ja descartei o Greca, apesar de nao achar ele uma má pessoa

  3. Infelizmente perdi a confiança no Greca =/

    a idéia claro que é boa, mas estive presente nos meios politicos em 96 durante seu mandato e tenho motivos para nao simpatizar com o gordinho! claro que obras aconteceram no passado, mas muitos problemas que se iniciaram na era Lerner e que claramente Greca disse que ia extermina-los, nao foram!

  4. Não acredito no que o candidato diz, assim como a Giovana diz já tenho um candidato de confiança, Curitiba quer mais! precisamos de uma pessoa que tenha uma relação de confiança com o povo, uma pessoa que coloca a cara a tapa e não tem medo de estar no lado dos cidadãos.

  5. Sempre que vejo escrito que tal candidato promete tal coisa me da um frio na barriga. Tantas promessas, o povo precisando tanto e acabam caindo nisso. Há em curitiba alguém que ao invés de prometer tanto, se concentra em estudar as reais necessidades do povo e em cima disso fazer planos seguros e claros, e é claro que meu voto é desse candidato.

  6. não pode priorizar somente o lixo. tudo que não se usa mais é lixo .mas isso tem que ser aprovado pelo congresso nacional.não adianta greca prometer, mas não tem uma lei em especie para o lixo e o que não e lixo. o congresso nacional teria que aprovar uma lei que ampare os ferros velhos, imagine aquele monte de socatas na divisa com são jose dos pinhais. muitos daquelas socatas poderia ser transformados e comercializados como ferro para construção civil.la tem e dinheiro jogado fora .no patio dos detrans muitos carros podres poderiam ser reaproveitados pela a industria metalurgica.ou transformados para esportação .cada ferro aproveitado dos velhos veiculos ,poderia criar uma nova industria rentavel.pode ser em curitiba mesmo.mas o congresso tem que criar a lei.e boa as intenções dos candidatos ,mas tem o embaraço da lei…