Professor da USP diz que aquecimento global ‘é conversa para boi dormir’; veja o vídeo

Em tempos de discussão do Código Florestal, a entrevista do professor de Climatologia da Universidade de São Paulo (USP), Ricardo Augusto Felício, adiciona mais gasolina à  fogueira.

O especialista em clima assegura que o aquecimento global não passa de conversa para boi dormir, diz que a floresta Amazônica não é e nunca será o pulmão da humanidade e ainda afirma que o buraco na camada de ozônio é uma grande farsa capitalista.

A teoria do professor da USP não é nova. Boa parte dos engenheiros do Conselho Regional de Engenharia do Paraná (Crea-PR) também compartilha da mesma opinião há um bom tempo.

A entrevista do professor Ricardo Augusto foi concedida ao apresentador Jô Soares, da Rede Globo, no último dia 3.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to tell you that I am just beginner to blogging and really loved this web blog. Almost certainly I’m want to bookmark your site . You definitely come with very good well written articles. Kudos for sharing with us your web page.

  2. Quem não concorda com ele, faz o seguinte: conteste os dados que ele passou com provas irrefutáveis! Simples não!

  3. Com certeza existem dois lados em todas as moedas. Há grupos interessados em lucrar com o aquecimento global e outros, com o novo código florestal.

    Algumas coisas até fazem sentido no discurso do Professor, mas ele não pode afirmar que devastação de florestas, lançamento de CO2 na atmosfera e retirada de petróleo de águas profundas não alteram o clima. Isso é muito grave. Sem discutir o mérito, na minha opinião o Professor não convenceu, o deus discurso soou vazio e simplista, faltou rigor científico nas suas pseudo-desmistificações sobre o aquecimento do clima e, além do mais, tenho as minhas ressalvas quanto à um cientista que se propõem à participar do programa do Jô. Há muito tempo Programa do Jô não pode ser levado à sério.

    De uma forma ou de outra, não precisa ser especialista em clima para perceber os fatos. Eventos climáticos extremos como tsunamis, trombadas de chuvas localizadas (enchentes), temperaturas extremas (mais frio no inverno e mais calor no verão), declínio da biodiversidade marinha (recifes de corais, algas, crustáceos e peixes) vêm se intensificando.

    A curva de CO2 na atmosfera x temperatura foram exaustivamente medidas e os dados avaliados por uma junta de 1800 cientistas de 180 países diferentes (IPCC). Os dados demonstram científicamente a drástica elevação da temperatura do planeta após a revolução industrial. Esses são os resultados que o Professor tanto debochou sem um contraponto científico sério, só piada. Se essa comunidade científica fosse de fato tendenciosa, é obvio que apoiariam indústrias intensas em carbono, que concentram riqueza e poder nos dias de hoje.

    Antes de formar opinião sobre qualquer assunto, sugiro investigar fontes, pesquisar diferentes tendências e tirar as suas próprias conclusões.

    Saudações!

  4. seria muito interessante se o cientista e climatologista do INPE, Carlos Nobre, fosse também convidado pelo Jô (EGO) para dar sua opinião, concordam?

    Assistam o vídeo e comparem a seriedade:

    http://www.youtube.com/watch?v=6EWA3TkoPQ8

  5. Muito boa entrevista do Professor!
    Porém, na escola, deve ter faltado às aulas de português, pois cometeu durante a entrevista dois erros graves de concordância verbal!
    Mas, também ninguém sabe tudo, né!!!

  6. esse louco mentiroso é pago por quem??? Quais os interessados para ele falar isso??? Eo que esta acontecendo aos nossos olhos, o que estamos sentindo na pele um calor jamais visto e sentido, o que é então… e ainda é professor um homem desse.

  7. ah, o camarada quer dizer então que podemos exaurir os recursos naturais, desmatar, emitir carbono, entupir o planeta de lixo, emporcalhar todos os rios, que isso não vai influenciar nada no clima… ah então tá bom.

  8. Eu só acreditarei que uma boa parte dos engenheiros do CREA é totalmente solidária a esta teoria,depois que conversar com eles à respeito.Ou se surgir no site do CREA uma nota à respeito.

  9. Realmente a teoria dele não é nova. Um amigo que é Mestre em Geografia, já havia me falado isso.
    Ele disse que há muita “romantização” do tema por parte de alguns.
    Mas creio que essa romantização também é benéfica para o Planeta!