Denúncia de compra de vereadores complica prefeito de Londrina (PR)

Barbosa Neto (PDT).

O ex-secretário de Governo de Londrina, Márcio Cito, foi preso nesta manhã pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) sob a acusação de tentativa de subornar o vereador Amauri Cardoso (PSDB).

De acordo com o promotor Cláudio Esteves, o suborno seria para convencer! o tucano a votar contra a abertura de uma Comissão Processante (CP da Cetronic) que investigaria o prefeito londrinense, que é acusado de usar vigilantes pagos com dinheiro público em sua emissora de Rádio. O preço? R$ 40 mil. Seriam R$ 20 mil na hora e outros R$ 20 mil depois da votação.

Desde que deixou a equipe do prefeito Barbosa Neto (PDT), Cito foi alçado à  condição de coordenador informal da campanha pela reeleição do ex-chefe.

Além de Márcio Cito, o GAECO também prendeu em flagrante o diretor da Cooperativa de Recicladores de Londrina (Coprelon), Ludovico Bonato.

A votação da CP da Cetronic foi retirada de pauta na Câmara por falta de clima!, que segue tenso no mundo político londrinense, pois a oposição quer agora o afastamento imediato do prefeito Barbosa Neto.

Em coletiva à  imprensa, o vereador Amauri Cardoso disparou: Barbosa está por trás de tudo!. O tucano afirmou ainda que, de acordo com Cito, a propina chegaria a R$ 300 mil até a campanha eleitoral para quem votasse com o prefeito!.

Uma força-tarefa do GAECO foi até à  prefeitura nesta tarde e apreendeu documentos na chefia de gabinete. Novos lances (prisões) são esperados nas próximas horas. A conferir.

Comentários encerrados.