Na Bahia, Richa liga greve à  oposição

por Sandro Moser, via Gazeta do Povo

Em Salvador desde a última quinta-feira, o governador Beto Richa (PSDB) disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo que a ameaça de greve dos policiais civis e militares no Paraná foi insuflada por opositores para desgastar sua gestão. Nesta hora de tensão, vários interesses difusos acabam se infiltrando nesses movimentos para causar desgaste. Daí já vêm motivação política e partidária!, disse Richa.

Sem citar nomes dos opositores que teriam articulado a greve, Richa disse que havia motivação partidária no movimento. Pessoas insuflaram os policiais para causar desgaste. Isso ficou claro no Rio e na Bahia. No Paraná conseguimos evitar graças ao aumento consistente que concedemos!, disse à  Folha.

Richa está na Bahia a convite do governador petista Jaques Wagner. Ele e a primeira-dama Fernanda Richa acompanham o carnaval no camarote do governo baiano. Atualmente, o PT é o único partido com representação na Assembléia Legislativa do Paraná que faz oposição a Richa.

Greve
A greve dos policiais foi suspensa após o Tribunal de Justiça proibir o ato e estabelecer multa diária de R$ 100 mil aos sindicatos da categoria em caso de descumprimento. Até agora, o governo estadual ofereceu 23% de aumento para os policiais militares e 26% para os civis. Propostas que não foram aceitas pela categoria. O governo deve apresentar uma nova proposta na próxima sexta-feira.

Tietagem
No domingo, o camarote do governo baiano foi visitado pelo jogador do Santos Neymar. Segundo a Folha de S. Paulo, o atacante ficou 10 minutos no local e foi tietado tanto por Jaques Wagner quanto por Beto Richa.

Comments are closed.