Educação: Governo e prefeitos tentam resolver imbróglio do transporte escolar

Impasse põe em risco o deslocamento de 177 mil alunos da rede estadual do Paraná: aulas começam na semana que vem. Henry Milléo/Gazeta do Povo.
O secretário da Educação e vice-governador, Flávio Arns (PSDB), está reunido neste instante com prefeitos no Slavieiro Palace Hotel, em Curitiba, com o objetivo de resolver o problema da falta de recursos para o transporte escolar.

O presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), Gabriel Samaha, o Gabão (PPS), leva à  mesa três proposta ao governo: 1- que os repasses sejam feitos por quilômetro rodado; 2- que os recursos sejam aumentados de R$ 58 milhões para R$ 80 milhões ainda este ano; e 3- estabelecer uma agenda permanente para que se zere o déficit no caixa dos municípios.

Segundo informações coletadas pelo blog, Arns deverá apresentar uma proposta de reajuste de 20% nos recursos a serem repassados até o final deste ano. Como o dinheiro não está previsto no orçamento de 2012, os repasses seriam concretizados por meio de “suplementação orçamentária”.

Gabão entende que a agenda permanente precisa ter um objetivo concreto: zerar até 2014 a falta de recursos para o transporte escolar.

Os prefeitos alegam que recebem repasses de R$ 58 milhões e gastam anualmente R$ 120 milhões.

As prefeituras do interior chegaram a ameaçar a paralisação do serviço de transporte escolar. Cerca de 177 mil alunos dependem do sistema para chegar à  escola.