Servidores da saúde mantêm greve em Curitiba

Funcionários municipais da saúde protestam mesmo na chuva.

Debaixo de muita chuva, os servidores municipais de Curitiba excluídos do projeto das 30 horas decidiram ontem manter a greve.

Hoje é o sexto dia de paralisação sem que o prefeito Luciano Ducci (PSB) tenha sinalizado algum contato com os trabalhadores da saúde.

A greve ocorre porque o prefeito encaminhou projeto para a Câmara Municipal reduzindo a jornada de trabalho para cinco categorias (enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, técnicos de higiene dental e assistentes de saúde bocal) e exclui quase 30 categorias do projeto.

Com a lei, cerca de 4 mil servidores da saúde terão jornada de 30 horas enquanto que 1165 profissionais da saúde (cerca de 20%) ficaram de fora.

Jingle novo

Os servidores municipais haviam lançado duas músicas ontem. O Samba dos excluídos! e o funk Pede pro tio Beto!. Hoje, outras duas músicas foram lançadas. Um sertanejo inspirado na canção Ai se eu te pego!, de Michel Teló, e outra canção inspirada no lobo mau da Chapeuzinho Vermelho. Nesse ritmo, os servidores vão lançar um CD de natal pro prefeito Luciano Ducci.

8 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. A grande verdade é que a enfermagem luta, luta, e quando consegue o minimo beneficio todo mundo cai matando…carregamos estigmas históricos que não servem de enaltecimento a nossa classe, e com muita luta e dedicação estamos conseguindo mudar essa realidade, desejo e creio que todas as classes devem lutar pelo que consideram justo…assim como a enfermagem lutou…até apanhar no DF apanhamos para defender nossa causa…e faríamos tudo de novo, Curitiba aderir as 30 horas para categoria é o ponto inicial, e só descansaremos quando todos o profissionais de enfermagem do território nacional contar com esse justo beneficio…Boa sorte a todos…

  2. Boa tarde, estamos na rua lutando por igualdade de direitos, no inicio fomos considerados pelo sr Ducci comno profissionais que não fazem parte da saúde, para expilcar somos farmacêuticos, psicólogos, fonoaudiólogos, nuticionistas, orientadores fisicos, que em conjunto contribuem para melhorar a saúde da população. Se mais uma greve está nas ruas, é porque nosso prefeito insiste em discriminar nossa profissão, ele faz a campnha do beneficiar algumas categorias, para que não haja entendimento entre os profissionais, achando com isto que vamos aceitar a exclusão. Pois deixo claro aqui que estaremos na rua até que nos incluam no projeto 30 horas, ou como mínimo venham abrir uma mesa de negociação.
    E para recordar grande número destes profissionias atuam na vigilância sanitária, assim que ao usarem um serviço de alimentação, farmácia, lembrem que estes não estão sendo fiscalçizados.

  3. Para a Sra Lica,
    Prezada Senhora… Venha conversar conosco na rua, e terei o maior prazer em explicar para a Sra o que estamos pedindo. Conheça aquilo que critica antes de julgar-nos.
    Curitiba ganha diversos prêmios na área da Saúde e quem leva os créditos? Seus bravos servidores? Claro que não! Prefeitos, secretários (como o tal Marcom!!!) e outros burocratas que arrotam sua arrogância em mídias Curitiba afora.
    A Senhora, por um acaso, já ouviu falar do Laboratório Municipal de Curitiba? É considerado hoje pelo Ministério da Saúde, o maior e melhor laboratório público da América Latina!!! Trabalho lá há 10 anos, e contribuo para que sejam realizados mais de 3 milhões de exames/ano atualmente. Fazemos todos os exames de programas como o premiadíssimo Mãe Curitibana. Dentro do programa de DST/AIDS somos referência Nacional em exames de diagnóstico e de monitoramento de HIV, e, por este motivo, somos frequentemente escolhidos para ajudar a desenvolver novas metodologias e tecnologias para pacientes soropositivos. Atuamos de forma determinante dentro do programa de combate a malária e tuberculose no município. Dentro do programa de atenção ao paciente diabético somos papel fundamenta das políticas de saúde voltadas a esse público. Somos nós que capacitamos e treinamos esses enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem nas coletas dos exames e mais diferenciados materiais biológicos que analisamos no Laboratório Municipal de Curitiba, e que agora estão contemplados nesse PL de redução da jornada para 30 horas semanais.
    Lá estão lotados 45 Farmacêuticos bioquimicos e biólogos e 65 técnicos em patologia clínica, técnicos de laboratório, auxiliares administrativos e citotécnicos. Todos hoje nas ruas e com nariz de palhaço, por se sentirem como tal. Um prefeito que se diz médico, jamais poderia dizer que não trabalhamos diretamente na saúde. Muito menos pregar a exclusão e discriminação através de um projeto de lei que atende uma parte dos servidores e não a outra, dentro da mesma área de atuação.
    Arriscamos nossas vidas diariamente lidando com agentes químicos e biológicos. Isso sem contar que estamos no meio de uma guerra real, pois nosso local de trabalho é no meio da favela do Parolin. Portanto, não estamos pedindo para trabalhar menos, mas sim, para trabalhar melhor!!!
    Então, quando a Senhora for fazer um exame de análises clínicas, pense bem onde vais querer fazê-lo, pois em Curitiba, graças aos meus colegas do Laboratório Municipal temos tanta qualidade nas análises quanto qualquer outro laboratório ao redor do mundo.
    Em tempo… não considero sua opinião no desempenho da minha função, e caso lá for me procurar, estarei pronto para lhe atender da melhor forma possível, mesmo que me considere um palhaço. Só peço que o faça após a greve, porque por hora, estou nas ruas, lutando pelo que acredito e almejo.
    Eduardo dos Reis Marques
    Farmacêutico Bioquímico

  4. Sim Sr. e/ou Sra. Lica também somos todos tratados como palhaços por um vice prefeito médico com o maior salário do país (R$ 26.700,00) e que usava a máquina da prefeitura para se promover e um secretário imagine com pós-graduação em Gestão de Pessoas ( que chama funcionários municipais de palhaços como você afirmou acima) que nos oferecem serviços como Postos de Saúde onde não há médico nem remédio, greves de dentistas e funcionários da saúde,creches e escolas sem vagas, ruas esburacadas, meia linha verde, R$ 44,4 milhões para a Copa,escândalo da Consilux, DIRETRAN, Derosso …..
    Uma sugestão boa para música é Pinóquio.

  5. BRIGA INTERNA: O Michele que é farmaceutico está Caputo da vida com o Ducci!

  6. Pela foto corresponde com o que diz o secretário de finanças o Marcom: Bando de Palhaços esses funcionários em greve!

    • Provavélmente a dona Lia deve ser uma palhaça que não necessita do serviço público!!!! Mas é isso aí… enquanto alguns funcionários públicos (digo políticos) mancham a imagem do funcionalismo público fazendo com que alguns ignorantes acreditem que nada no serviço público presta, nós sabemos o serviço de qualidade e excêlencia que prestamos reconhecido e premiado pelos órgãos de avaliação da saúde, mas nem adianta eu ficar relatando isso aqui, é melhor que se for de interesse, procure, pesquise e só depois venha querer dar alguma opinião!!!!!!

    • Lamentável a colocação, principalmente de um Secretário de Finanças, se as pessoas estão se submetendo a ficar em dia de chuva sob as condições em que a foto apresenta é porque possuem motivos suficientes para o mesmo, é muito mais cômodo estar em seu local de trabalho! Se bem me lembro também é a terceira mobilização seguida de servidores da saúde de Curitiba – médicos, dentista e agora estas categorias – algo deve estar muuuuito errado! Cuidado Secretário, ano que vem tem eleição sua vaga não é fixa não!!!!!