Deputada que acusa governador do DF é cria de Joaquim Roriz

Deputada Distrital Celina Leão.

da Folha.com

Celina Leão (PSD), a deputada distrital que acusa o governador Agnelo Queiroz (PT) de receber propina de um lobista, entrou para a política do Distrito Federal pela porta do gabinete de Joaquim Roriz, ex-governador da capital e inimigo político do petista.

Ela foi secretária de Juventude na última gestão de Roriz, em 2006. Depois, foi chefe de gabinete de Jaqueline Roriz, filha do ex-governador, que foi deputada distrital na legislatura passada.

Pelas mãos da família Roriz, Celina se elegeu com menos de 8.000 votos no ano passado. Responde a inquérito no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sob acusação de ameaçar cortar benefícios sociais de quem não votasse nela –sua assessoria diz não haver provas do suposto crime.

Hoje, Jaqueline é deputada federal. Ela e Celina, que antes se apresentavam como “amigas”, não se falam mais.

O rompimento definitivo foi em março, quando Jaqueline quase foi cassada após aparecer em vídeo recebendo dinheiro das mãos de Durval Barbosa, o delegado que delatou o mensalão do DEM e derrubou o ex-governador José Roberto Arruda.

O clã Roriz ficou ressentido com Celina, que não defendeu a ex-chefe e só falou sobre o escândalo para contestar acusação de que teria se beneficiado de esquema montado na administração de Samambaia, cidade satélite do DF e reduto dos Roriz.

Celina disse que as denúncias foram plantadas pelo PT em retaliação à  sua oposição ao governo de Agnelo.

Após o rompimento com o clã Roriz, a deputada distrital trocou o PMN, comandado por Jaqueline, pelo PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

Ela disse que precisava alçar voo próprio, mas ainda mantém contato com figuras que foram próximas à  família que a lançou na política.

Um de seus principais assessores foi funcionário da ex-deputada Eurides Brito, secretária de Educação de Roriz, flagrada escondendo dinheiro do mensalão do DEM.

Comentários encerrados.