Fruet e Alvaro em Brasília; veja

Acompanhado do advogado Juliano Breda, Fruet encontrou-se hoje com Alvaro.

O ex-deputado federal Gustavo Fruet (sem partido) visitou nesta quarta-feira, em Brasília, o senador Alvaro Dias (PSDB).

“Recebi hoje em meu gabinete a visita do ex-deputado Gustavo Fruet, acompanhado do advogado paranaense Juliano Breda. Fruet é candidato à  Prefeitura de Curitiba e está prestes a definir sua nova filiação partidária. Exerceu em Brasilia mandatos que lhe garantiram respeitabilidade e conceito”, comentou o senador tucano.

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Alvaro e Fruet serão imbatíveis em qualquer eleição que participarem. Ganharam credibilidade junto a população pelas suas atuações contra a corrupção que assola esse País. Ninguém mais aguenta esse Playboyzinho do Batel; o Beto Richa, inconsequente, que colocou o Gustavo para fora do PSDB e vai pagar caro por isso. O Senador Alvaro Dias deve mesmo apoiar o Gustavo pois sempre foram companheiros e, eu me recordo do Alvaro pedindo votos para o Fruet na eleição de Senador, onde o Guga só foi derrotado porque o Beto Richa montou a estratégia de colocar o Ricardo Barros junto na chapa, exatamente para dividir os votos do Gustavo e não elegê-lo e, exatamente para nao ter sombras no futuro. Isso foi o que deu a vitória ao Requião e derrotou o Gustavo. Me faz pensar até que já havia um acôrdo entre o Beto Richa e o Requião o que é muito próprio desses dois. Quatro deputados do PMDB voltaram de Brasilia e foram lá para justificarem o apôio do Partido ao govêrno do Beto. Falaram com o Senador Waldyr Raupt ou melhor o “Rapina Raupt” que lhes concedeu a benção. Vocês acham que o Requião não concordou com isso? Então o Senador Raupt iria se imiscuir nos assuntos do Parana se não tivesse a benção do Requião que é o Senador do Partido no Estado? Pensam que somos trouxas. O Requião e o Beto jogam juntos. Só trouxa ainda acredita em Papai Noel. Porque o Requião fechou as portas do PMDB para o Gustavo e ficou com um candidato que não terá a mínima chance de se eleger? Porque eu tenho razão ao dizer que Beto e Requião são “farinha do mesmo saco.” E assim, o povão vai sendo enganado e votando nessas merdas. Menos eu.

  2. seria muito essas AI continuarem no mesmo partido! no ninho tucano seria o lugar deles,digo e repito,se fruit vier para um partido aliado ao governo,e desidirem apoiar o mesmo,eu anulo meu voto,pela primeira vez anulo sem peso de conciência.

  3. Continuo acreditando que o ex-deputado Gustavo Fruet se filiará ao PDT sem provocar essa “debandada” que vem sendo difundida na imprensa, com base em “reportagens” como a que questiono abaixo nos termos seguintes: 1. “Vereador do PDT confirma assédio da base de Ducci” (no título); 2. “Um vereador do Partido Democrático Trabalhista na Câmara Municipal de Curitiba confirmou ter sido procurado pelo PSD, para que, numa eventual filiação de Gustavo Fruet ao PDT, continue na base do prefeito Luciano Ducci, enfraquecendo o provável partido do principal adversário da reeleição de Ducci” (na introdução da notícia); 3. “Vereadores aguardam anúncio da filiação de Gustavo Fruet ao PDT para permanecerem na legenda, se ele não se filiar podem sair dois” (conclusão minha).

    Vereadores do PDT confirmam assédio da base de Ducci

    Roger Pereira/Paraná Online – Os vereadores do PDT na Câmara Municipal de Curitiba confirmaram terem sido procurados pelo PSD, para que, numa eventual filiação de Gustavo Fruet ao PDT, os três continuem na base do prefeito Luciano Ducci, enfraquecendo o provável partido do principal adversário da reeleição de Ducci.

    Aproveitando a fundação do PSD, que já declarou apoio ao atual prefeito, surgiram convites aos três vereadores pedetistas para que se filiem ao novo partido, escapando da regra da fidelidade partidária, que permite a troca de legenda em caso de fundação de uma nova sigla, causando uma debandada no PDT, caso confirme-se a filiação de Gustavo.

    Tito Zeglin, Jairo Marcelino e Roberto Hinça, além do ex-deputado estadual Luiz Carlos Martins, foram sondados pelo novo partido, que tem o deputado Ney Leprevost, como principal liderança na capital. O assédio da base de Ducci foi um dos motivos para que Gustavo atrasasse o anúncio de sua decisão. “Cada passo que eu dou, a prefeitura vai atrás”, reclamou.

    Roberto Hinça confirmou o convite e disse que está analisando a proposta. “Não tem nada definido e nenhuma relação com a vinda do Gustavo, que é meu amigo pessoal. Mas ser convido para fazer parte de um novo projeto, construir um novo partido, é gratificante, e estou analisando com carinho”, admitiu. Hinça reconheceu, no entanto, que a decisão do ex-deputado pode influenciar sua escolha. “Uma coisa é disputarmos a eleição com um candidato na majoritária, uma coligação forte, e, principalmente, um projeto para Curitiba. Outra é disputar sozinho”, disse.

    Já Tito Zeglin declarou que nunca cogitou trocar de partido. “Não recebi nenhum convite oficial e não cogitei deixar o PDT. Sou muito feliz aqui, faço parte da executiva e sou um dos entusiastas da vinda do Gustavo”, afirmou. Tito disse, no entanto, que a demora do ex-deputado em definir seu destino está atrapalhando a construção da chapa de vereadores do PDT. “O prazo para filiação está acabando e tem muita gente aguardando a decisão do Fruet para fechar conosco. Quanto mais ele demora, mais difícil fica”, disse.

    O vereador Jairo Marcelino não compareceu à sessão desta quarta-feira na Câmara e não atendeu às ligações da reportagem.