Líder do governo pratica supernepotismo cruzado com superintendente do porto de Paranaguá

Deputado Ademar Traiano (PSDB). Foto: Denis Ferreira Neto.

O “Novo Paraná” do governador Beto Richa (PSDB) é assim: é tudo em família.

Veja o tamanho da nhaca.

O líder do governo tucano na Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), está envolvido em mais um escândalo. Agora ele é acusado de praticar nepotismo cruzado com o superintendente do porto de Paranaguá, Airton Maron.

A coisa funciona da seguinte maneira: 1 – o deputado Traiano contratou Mauro Maron, irmão do superintendente do porto, para ocupar cargo na liderança do governo; 2 – Omar Traiano, irmão do líder do governo, é compensando com outro cargo na superintendência do porto.

De acordo com a súmula vinculante número 13, do Supremo Tribunal Federal (STF), a prática de nepotismo pode resultar em exoneração dos contratados irregularmente e em ação de improbidade administrativa contra o superintendente do porto e o líder do governo.

O líder de Beto Richa na Assembleia já é investigado pelo Ministério Público por empregar os filhos no próprio gabinete com supersalários.

Traiano, um dos “paladinos da moralidade” na Assembleia, é contra o nepotismo, mas só para a família dos outros.

Comentários encerrados.