Congresso em Curitiba vai discutir problemas e soluções para o lixo

Curitiba não consegue resolver a questão do lixo. Foto site Algaci Túlio.

Embora Curitiba recicle apenas 13% do lixo produzido e não consiga apresentar uma solução definitiva para a questão, a cidade vai sediar o maior evento nacional na área de resíduos sólidos nos dias 5, 6 e 7 de outubro – o Sustain Total – Brazil Waste Summit integra uma rede de feiras internacionais de resíduos sólidos (Reino Unido, Dubai, Coreia do Sul e Estados Unidos), com o objetivo de integrar parceiros estratégicos e compartilhar soluções entre os continentes, além de fomentar a discussão sobre as questões abordadas na Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A título de comparação, a Alemanha recicla 40% do lixo e, no Paraná, a pequena cidade de Tibagi já chegou a reciclar 74% do lixo — um exemplo para o estado e o país.

Promovido pelo IBDS (Instituto Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), o evento traz as principais tecnologias e modelos de gestão de resíduos sólidos de países líderes da Europa, América e àsia. A feira reúne as principais soluções e equipamentos a setores produtivos, empresas públicas e governos municipais, de forma a contribuir para uma melhor elaboração, desenvolvimento e gerenciamento dos planos municipais.

A programação inclui um fórum, com debates e soluções para todas as áreas da cadeia de geração de resíduos sólidos, reunindo num único evento os profissionais de referência nacional e internacional do setor, como Rà¼diger Siechau (Diretor de Saneamento de Hamburgo de 1995-2007 e Presidente da Associação de Gestão de Resíduos Urbanos e Saneamento desde 2001), Arnaldo Jardim (Deputado Federal, Relator da Política Nacional de Resíduos Sólidos), Tião dos Santos (Presidente da Cooperativa Nova Gramacho e o principal personagem do documentário Lixo Extraordinário,! indicado ao Oscar), Silvano Silvério da Costa (Diretor de Ambiente do Ministério do Meio Ambiente), entre outros.

Os Problemas do Lixo

De acordo com o Ministério das Cidades, o Brasil gera, atualmente, 57 milhões de toneladas de lixo por ano. Deste volume, 43% da coleta tem destinação inadequada. Menos de 3% dos municípios brasileiros possuem experiência com coleta seletiva, sendo reciclado apenas 13% do volume de lixo gerado em todo o território nacional. Considerando-se o passivo ambiental de mais de 40 anos, o País perde mais de R$8 bilhões por ano por não reciclar seu lixo, segundo o Ministério do Meio Ambiente.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos

Após ficar mais de duas décadas em debate no Congresso Nacional, a lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) foi publicada em agosto de 2010 (lei 12.305/2010) e, em dezembro do mesmo ano, foi regulamentada pelo Decreto 7.404/2010. Com a sanção da PNRS, o país passa a ter um marco regulatório na área de resíduos sólidos.

Entre os objetivos da nova lei, destacam-se a não-geração, redução, reutilização e tratamento de resíduos sólidos; a destinação final ambientalmente adequada dos rejeitos; a diminuição do uso dos recursos naturais (água e energia, por exemplo) no processo de produção de novos produtos; a intensificação de ações de educação ambiental; o aumento da reciclagem no país; a promoção da inclusão social e a geração de emprego e renda para catadores de materiais recicláveis.

Um dos pontos fundamentais da nova lei é a chamada logística reversa, que se constitui em um conjunto de ações para facilitar o retorno dos resíduos aos seus geradores para que sejam tratados ou reaproveitados em novos produtos.

A responsabilidade compartilhada, a logística reversa, a institucionalização das obrigatoriedades dos geradores de resíduos e do poder público como viabilizador do desenvolvimento dos setores, atrelados aos impactos sociais, econômicos e ambientais, fundamentam a importância deste momento para o desenvolvimento sustentável do País!, explica o presidente do IBDS, Carlos Renato Garcez do Nascimento.

O processo de dialogo e engajamento entre poder público, setor produtivo e sociedade civil é de fundamental importância para o alinhamento e a potencialização das orientações da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n.!º 12.305/2010), motivo pelo qual o IBDS promove o Sustain Total 2011!, afirma.

A PNRS também estabelece princípios para a elaboração dos Planos Nacional, Estadual, Regional e Municipal de Resíduos Sólidos.

De acordo com as novas orientações, os municípios têm um prazo até agosto de 2012 para que apresentem seus planos municipais de gestão integrada de resíduos sólidos ao Ministério das Cidades, segundo a Lei 12.305. Além disso, o País precisa reverter o quadro de quase mil lixões em aterros sanitários em diferentes regiões do País, em período inferior a quatro anos!, alerta Nascimento.

O governo pretende investir R$ 1,5 bilhão em projetos de tratamento de resíduos sólidos, na substituição de lixões e implantação da coleta seletiva e no financiamento de cooperativas de catadores. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, informou que R$ 1 bilhão já está previsto no Orçamento de 2011 e que R$ 500 milhões virão da Caixa Econômica Federal.

Sustain Total !“ Brazil Waste Summit 2011
5 a 7 de outubro de 2011
ExpoTrade – Curitiba !“ PR
www.sustaintotal.com.br
Twitter: @SustainTotal
Facebook: SustaiTotal Brasil
Inscrições: https://credenciamento.websiteseguro.com/inscricoes/?ev=CONGSUSTAIN2011

23 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to say I am newbie to blogging and site-building and absolutely savored this blog site. More than likely I’m want to bookmark your blog . You amazingly come with awesome stories. Bless you for revealing your web site.

  2. Este tipo de evento é de grande valia, pois se quisermos propiciar um mundo mais limpo, com melhor qualidade de vida para nós e nossos descendentes, é imprescindível que nos mobilizemos desde já.

  3. Meu caro
    Pela pertinência do tema, permiti-me a publicação também no meu blog…
    Grande abraço
    Ceslau

    http://www.ceslaumakovski.blogspot.com

  4. Parabenizo o IBDS pela iniciativa e atenção ao problema em questão.

    Lamentavelmente ainda não temos um sistema político que dê a devida importância à reciclagem no Brasil.

    Em relação a Curitiba, considero inconcebível a cidade reciclar apenas 13% do seu lixo.

    Embora os números da PMC contrariem o percentual acima, indicando um índice de reciclagem próximo aos 25%, percebe-se o retrocesso pelo qual o programa passou.

    Curitiba foi uma das precursoras na reciclagem de lixo, ao lançar o Programa Lixo que não é Lixo há 22 anos, mas infelizmente o programa em questão foi praticamente abandonado.

    Sou partidário da opinião de que parte da nossa população não é adepta à reciclagem por pura falta de informação e descrença no programa.

    Quanto às indústrias, realmente falta incentivo do governo para a adoção da logística reversa e utilização de material reciclável.

    Esse paradoxo precisa ser corrigido!

  5. Parabenizo o IBDS pela iniciativa e atenção ao problema em questão.
    Lamentavelmente ainda não temos um sistema político que dê a devida importância à reciclagem no Brasil.
    Em relação a Curitiba, considero inconcebível a cidade reciclar apenas 13% do seu lixo.
    Embora os números da PMC contrariem o percentual acima, indicando um índice de reciclagem próximo aos 25%, percebe-se o retrocesso pelo qual o programa passou.
    Curitiba foi uma das precursoras na reciclagem de lixo, ao lançar o Programa Lixo que não é Lixo há 22 anos, mas infelizmente o programa em questão foi praticamente abandonado.
    Sou partidário da opinião de que parte da nossa população não é adepta à reciclagem por pura falta de informação e descrença no programa.
    Quanto às indústrias, realmente falta incentivo do governo para a adoção da logística reversa e utilização de material reciclável.
    Esse paradoxo precisa ser corrigido!

  6. Excelente iniciativa, parabéns aos organizadores do evento!!!!

  7. Como pode a população aderir a reciclagem, se uma resma de papel reciclado é em média 20% mais caro que o papel comum. O governo precisa dar mais incentivo fiscal aos produtos reciclados.

  8. O LIXO TEM QUE DEIXAR A POLITICA DE PARTIDO, PARA SER UMA POLITICA DE ESTADO E MUNICIPIO. O MINISTERIO PUBLICO DEVE CUIDAR DO CRIME ORGANIZADO.PARA ACABAR.PERDER TEMPO COM LIXO E UMA FATALIDADE.PARA FALAR DE LIXO DEVE SER CIENTISTA ,BIOLOGIA ,PESSOAS QUE CONHECEM . IMAGINE SE COLOCASSE POLITICO PARA CUIDAR DO MEIO AMBIENTE SERIA DESASTRE,COMO E.USAR A TECNOLOGIA ,SEM QUERER APARECER.CUIDAR DO SOLO E PRECISO.MAS CUIDADR DOS CIDADÃOS NUNCA.POR QUE UMA AVE TEM MAIS VALOR QUE OS HUMANOS?PARA SALVAR O PLANETE ,TEM QUE PRIMEIRO RESGATAR AS PESSOAS…

    • SER UMA POLITICA DO PAIS, DA UNIAO, padronizar em sistema e metodos capaz de simplificar essa zorra atual.

      Problemado lixo é somente o sistema e metodos inexistente, a população quer separar, mas nao existe uma metodologiaplausivel, afinal de contas,como se explica o fato de uma pessoa culta, um medico, um presidente de grande empresa nao saber separar o lixo????
      Acorda gente!!! esperar pela prefeitura é tempo perdido….faça voce mesmo!!! http://www.3lixos.com.br- ajudando o meioambiente e os catadores.

      A prefeitura de curitiba orienta VC a agir como um burro no descarte do lixo,ao mandar voce misturar o ORGANICO COM REJEITO na hora do descarte….e nem orienta voce autilizar as cores internacionais padronizadas para olixo…. Acorda loco!!!!

  9. Se não existirem congressos como este para pressionar ações do poder público continuaremos sendo enganados pela Prefeitura…
    Enquanto isso o Derosso não larga do osso…
    Vergonheira…

  10. Lorena..
    Sua preocupação é pertinente..
    Onde estão as políticas públicas de desoneração tributária destes produtos??
    Aos advogados de plantão… não seria uma bitributação???

  11. Esmael,
    O problema do lixo é muito maior que imaginamos. A solução apontada é a reciclagem? E por que tudo que é reciclado é mais caro? Qual incentivo o consumidor possui para comprar um produto reciclado? Qual incentivo o consumidor tem para separar o seu lixo e levar os materiais recicláveis a um posto de coleta? Que incentivo o setor produtivo possui para fazer a reciclagem das suas embalagens usadas?

  12. Este assunto é relevante para a melhoria e manutenção da qualidade de vida dos cidadãos e, também, para a proteção da flora e da fauna regional. Não nos esqueçamos que o homem é o único animal que pensa e, mesmo assim, deliberadamente altera as condições ambientais. Se as condições ambientais se degradam, então os homens também se modificam e suas condições de vida perdem qualidade. Que este congresso ajude a melhorar a percepção da necessidade de tratar este assunto com elevada responsabilidade.

  13. PARABÉNS PELA INICIATIVA DO FÓRUM, SERÁ UMA PROVOCAÇÃO CONSTRUTIVA AO PODER PÚBLICO, PARA QUE SOLUÇÕES E PROVIDÊNCIAS SEJAM TOMADAS.

  14. Interessante: na hora de promover o tema aparecem políticos de todos os cantos, mas na hora do “vamos ver” cadê os mesmos ? Chega de promoção pessoal, queremos homens públicos preocupados e comprometidos com os anseios da sociedade da qual eles próprios fazem parte. Ou não fazem ?

  15. DESCULPE MEU ERRO ( SECULO XXI )

  16. SIM TODOS NOS SOMOS RESPONSAVEIS PELO LIXO ,MAS A PREFEITURA TEM QUE TEM A MAIOR RESPONSABILIDADE NISSO , O BETO QUANDO ERA PREFEITO SO MENTIU PRO POVO EMROLOU EMROLOOOOOUUUUU E NAO FEZ NADA.O LIXO TEM QUE SER RECICLADO ESTAMOS NO SECULO XI E CONTINUAM EMTERRANDO OLIXO ISTO E INCOMPETENCIA DOS GOVERNOS.

    • NAO DEFENDO BETO…..MAS NAO EH PROBLEMA DELE!!! começa lah em brasilia no Ministerio do Meio Ambiente, que nao possui umsistema e metodos eficaz para passar para os municipios, assim cada municipio faz a propria bagunça….Enterramos mais de 85% de nosso lixo em curitiba….provando queo atual sistema eh falho…..prova maior é que mais de 50% de nosso lixo é organico….organico misturado com rejeito é inaproveitavel…A PREFEITURA DE CURITIBA ORIENTA VOCE A MISTURAR ORGANICO E REJEITO E SEPARAR O RECICLAVEL……Precisa falar mais???????www.3lixos.com.br

  17. todos nos somos responsaveis pelo lixo:

  18. Excelente iniciativa do IBDS. É necessário que se crie ambiente para que os municípios acabem com os lixões (problema sério na capital do nosso estado) e abandonem tecnologias de baixa eficiência na gestão de resíduos sólidos. Nessa passo, é fundamental que a indústria proponha modelos de reciclagem abrangentes (cobrindo todo o território nacional) e eficientes, implementando a logística reversa completa.

  19. Esmael..
    Não é de hoje que a Prefeitura engana sua população com problemas do lixo.
    Aqui no Tatuquara sofremos com a falta de apoio da Prefeitura na coleta do lixo urbano. Já conversamos com vereadores sobre o assunto e nada foi resolvido.
    Até quando teremos esse problema em nosso município.

  20. Não precisa de congresso coisa nenhuma; é só a prefeitura fazer estações de reciclagem do orgânico e não orgânico e obrigar a tigrada ser civilizada…