Viagra e prótese peniana não garantem golpe de Bolsonaro, presume Estadão

Editorial do Estadão, nesta quinta (19/05), destoou dos demais veículos da velha mídia corporativa acerca do fetiche do golpe de Jair Bolsonaro.

Segundo o jornalão paulistano, a disposição bolsonarista de perturbar a eleição não encontra apoio nas Forças Armadas, no Judiciário e no Legislativo, mostrando maturidade institucional do País.

Para a publicação, presume-se, a aquisição de viagra e prótese peniana não são suficientes para a aventura antidemocrática.

– Jair Bolsonaro foi um mau militar, foi um mau deputado federal e é um mau presidente da República – avalia o Estadão. “Se as pesquisas de intenção de voto se confirmarem, em breve será também um mau perdedor”, lamentou o jornalão, no entanto, advertindo que o presidente cessante não tem apoio nenhum.

Após alguns devaneios neoliberais, o editorialista recobra o prumo para finalizar:

– Mais cedo do que tarde, o presidente verá que derrubar a democracia consagrada pela Carta de 1988 estava muito além de suas forças.

Veja também  Robert De Niro sugere a "dança do caixão" para o presidente Donald Trump