7 de outubro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Saiba onde votar

Saiba onde votar

Quer saber onde você vota? Consulte por nome ou número do título o local de votação. Confira as principais informações sobre a eleição deste domingo (7). ... 

Leia mais

27 de setembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Supremo, esse golpista, cassou 3,6 mi de eleitores pobres

Supremo, esse golpista, cassou 3,6 mi de eleitores pobres

O STF não gosta mesmo de pobre. Primeiro permitiu o golpe que cassou a presidenta eleita pelo povo, em 2016, e agora retirou o direito de 3,6 milhões de brasileiros de votar por não realizarem a tal biometria eletrônica. ... 

Leia mais

12 de agosto de 2014
por Esmael Morais
6 Comentários

Jovens negam rótulo de despolitizados e dizem que participação mudou

via Agência Brasil

Gerações mais novas são frequentemente criticadas por manterem distância da participação política. Mas, à s vésperas de mais uma eleição para escolher presidente, governadores, deputados e senadores, jovens ouvidos pela Agência Brasil contestam o rótulo de despolitizados. Eles definem sua relação com as questões públicas como um envolvimento que se afastou das vias tradicionais. Na visão deles, há uma desilusão com partidos e estruturas formais de poder, mas a juventude não está desengajada.

A estudante Marina Serra dos Santos, 17 anos, diz que o ativismo desvinculado de partidos políticos é válido. A jovem, que na internet utiliza o pseudônimo Marina Saint-Hills, marca presença nas redes sociais e mantém um blog onde compartilha conteúdos sobre sua visão de mundo e suas experiências. Marina é favorável a pequenas mudanças de atitude no cotidiano e destaca as ações apartidárias como uma tendência mundial.

Na minha opinião, muitas pessoas não encontram representação [entre os partidos]. A juventude acordou, quer mudanças, mas não sabe identificar o que quer que mude. A política vai muito além do que está acontecendo na Esplanada [dos Ministérios]. Tem a corrupção em pequena escala, o ‘jeitinho’ brasileiro. [O apartidarismo] não é só característico das manifestações no Brasil. O Occupy [movimento Occupy Wall Street, iniciado nos Estados Unidos, contrário à s distorções sociais, ganância e corrupção] era assim. A gente viu em junho [durante as manifestações] que não era só política [tradicional]. Tinha movimento LGBT [lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transgêneros e transexuais] e muitos outros!, comenta.

info_perfil_jovem

O estudante João Felipe Amaral Bobroff, 17 anos, presidente do grêmio estudantil da escola em que est Leia mais