4 de fevereiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Gleisi detona a velha política de Bolsonaro; leia a íntegra

Gleisi detona a velha política de Bolsonaro; leia a íntegra

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), em artigo especial, detona a velha política reinserida no Congresso Nacional por obra de Jair Bolsonaro (PSL) e seus aliados militares e a antiga Arena (agora DEM). ... 

Leia mais

31 de agosto de 2016
por Esmael Morais
28 Comentários

DEM, o partido da ditadura, chega ao poder com cassação de Dilma

temer_maia_vanessaO impeachment ressuscitou hoje (31) o DEM — sucessor da ARENA, PDS e PFL, ambos partidos da ditadura militar — excrescência que julgávamos ter eliminado com 27 anos de democracia. Lego engano. Leia mais

1 de outubro de 2014
por Esmael Morais
12 Comentários

Comercial do PT acusa Marina de andar com “gente da ditadura”; assista

do Brasil 247
Um novo comercial do PT, que foi ao nesta quarta-feira 1!º, penúltimo dia de propaganda eleitoral gratuita, acusa a candidata Marina Silva (PSB) de andar com “gente da ditadura”. O vídeo de 30 segundos mostra a imagem da presidenciável ao lado de fotos de Jorge Bornhausen e de Heráclito Fortes.

Trata-se de mais um ataque duro contra a adversária da presidente Dilma Rousseff nessa reta final da campanha. No filme, o narrador descreve os políticos, que apoiam a candidatura de Marina, como representantes “dos ruralistas e dos banqueiros. Gente que vem lá do tempo da Arena e da ditadura”. “Se Marina tem alguma coisa de novo, certamente não são as suas companhias”, concluir o texto.

Marina subiu no palanque do candidato ao Senado pelo PSB de Santa Catarina, Paulo Bornhausen, filho de Jorge Bornhausen, e é apoiada por Heráclito, que é candidato a deputado federal pelo Piauí pelo PSB.

Cumprindo agenda na favela de Paraisópolis (SP), Marina rebateu aos ataques do PT na mesma moeda, citando nomes de políticos que apoiam a candidatura de Dilma, como José Sarney, Fernando Collor e Renan Calheiros, e dizendo que eles contradizem a história da presidente, que deveria ser honrada por ela.

“As companhias que a presidente tem, do Collor, do Sarney, do Maluf, do Renan Calheiros, do Jader Barbalho e tantos outros com certeza, essa sim, é a verdadeira contradição, a contradição mais profunda na trajetória das pessoas que deviam estar honrando a sua trajetória”, criticou.

Ao citar “companhias” de Dilma que também fizeram parte da Arena e são ligadas à  ditadura, a candidata admite, de certa forma, que, como os outros candidatos, se relaciona com a “velha política”.

Assista ao programa abaixo:

Leia mais

3 de abril de 2014
por Esmael Morais
33 Comentários

Coluna do Requião Filho: “Pão e circo”

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, mergulha na história de Roma para chegar à  conclusão: espetáculo midiático de Dilma e Richa, que gastam milhões em propaganda e estádios, nada mais é do que a política do "pão e circo" para distrair o povo de seus reais problemas cotidianos, como falta de escolas e esgoto, e controlar o parlamento; ele também vê paralelo dos governos petista e tucano com o estilo romano de 2 mil anos atrás, quando se inaugurava obras antes mesmo de concluí-las, a exemplo do Coliseu; Será mesmo que preferimos sentar em um estádio ao invés de um banco de escola ou de uma sala de espera digna em um hospital público?!, indigna-se o especialista em políticas públicas; leia o texto.

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, mergulha na história de Roma para chegar à  conclusão: espetáculo midiático de Dilma e Richa, que gastam milhões em propaganda e estádios, nada mais é do que a política do “pão e circo” para distrair o povo de seus reais problemas cotidianos, como falta de escolas e esgoto, e controlar o parlamento; ele também vê paralelo dos governos petista e tucano com o estilo romano de 2 mil anos atrás, quando se inaugurava obras antes mesmo de concluí-las, a exemplo do Coliseu; Será mesmo que preferimos sentar em um estádio ao invés de um banco de escola ou de uma sala de espera digna em um hospital público?!, indigna-se o especialista em políticas públicas; leia o texto.

Requião Filho*

Roubo

aqui ... 

Leia mais