Nunca a Globo faturou tanto com o governo Bolsonaro, diz a Secom do Palácio do Planalto

É falso que os grandes veículos de mídia perseguem Bolsonaro por ele ter cortado suas verbas publicitárias

Perguntam ao Blog do Esmael, de forma recorrente, se é verdade que os grandes veículos de mídia perseguem o presidente Jair Bolsonaro por ele ter cortado suas verbas publicitárias. Falso. E eu vou explicar por quê.

O presidente Jair Bolsonaro e a velha mídia corporativa têm o mesmo “senhor”, isto é, eles são servos dos bancos e fundos de investimentos. O ministro Paulo Guedes, representantes dos banqueiros no governo, é quem afiança isso tudo.

Embora haja um chororó de alguns veículos, o governo empenhou R$ 414 milhões para este ano, sem levar em consideração a administração indireta (Banco do Brasil, Caixa, Petrobras, IBGE, Banco Central, Furnas, etc.

Veja os gastos de publicidade entre janeiro e junho de 2021:

Record —————–> R$ 8,3 milhões
SBT ——————–> R$ 8,3 milhões
Globo ——————> R$ 6,2 milhões
Bandeirantes ———–> R$ 4,4 milhões
Rede TV! —————> R$ 1,8 milhão

Fonte: SECOM/Presidência da República

Há muito tempo, os veículos de comunicação brasileiros deixaram de fazer jornalismo e hoje em dia eles especulam com as notícias.

Os jornalões funcionam na atualidade como instituições financeiras. Vide o caso da Folha de S.Paulo. A empresa ganha dinheiro com a maquinha, o PagBank, PagSeguro, dentre outros serviços bancários, enquanto decresce o número de assinantes pagos e o “jornalismo” –para não dizer que funciona no vermelho– não é rentável.

A revista Veja, da Abril, foi adquirida pelo banco BTG Pactual e a Globo também entrou no mundo dos pagamentos online e veículos de imprensa têm aportes de fundos de investimentos, cujos interesses são divergentes da sociedade e da função social do jornalismo.

O quadro atual é de confusão. As empresas de comunicação precisam resolver se querem fazer jornalismo ou especulação financeira. E isso se resolverá somente com a regulação da mídia, que disciplinará a propriedade cruzada.

Portanto, reforçando a resposta: é a falso que os grandes veículos de mídia precisem do dinheiro do governo federal. Os jornalões têm dinheiro de sobra e jornalismo de menos. Basta ver os cortes de profissionais de imprensa nas redações, que estão cada vez mais com cara de agência bancária.

Leia também

Advogado de Lula pede “música no Fantástico” pela inocência do petista no caso do Sítio de Atibaia

Bolsonaro é uma “canoa furada”, dizem membros do Centrão, que preparam operação desembarque

Saiba por que Carlos Bolsonaro, o Carluxo, pode ser preso pelo STF