bolsolazaro

Bolsonaro sobre a morte de Lázaro: “CPF cancelado”

O presidente Jair Bolsonaro foi “Jair Bolsonaro” ao comemorar nesta segunda-feira (28/6) a morte de Lázaro Barbosa, acusado de vários crimes na Bahia e Goiás.

“LÁZARO: CPF CANCELADO!”, exultou o presidente em letras garrafais no Twitter.

Bolsonaro parabenizou os policiais goianos a quem eles chamou de “heróis” enquanto adjetivou Lázaro chamando de “marginal” o morto.

Leia também

“Parabéns aos heróis da PM-GO por darem fim ao terror praticado pelo marginal Lazaro, que humilhou e assassinou homens e mulheres a sangue frio. O Brasil agradece! Menos um para amedrontar as famílias de bem. Suas vítimas, sim, não tiveram uma segunda chance. Bom dia a todos!”, escreveu o presidente da República.

Há quem acredite que Lázaro era mais que um homicida. “Possivelmente Lazaro era assassino de aluguel. A serviço de grileiros”, afirmou o ex-senador Roberto Requião (MDB), atento analista político brasileiro.

“Se você concorda com o cancelamento do CPF DO LÁZARO HOMICIDA! O que recomenda para um genocida?”, questionou Requião, referindo-se às 513.474 vidas de brasileiros perdidas na pandemia.

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), o Carluxo, filho do presidente, debochou de pessoas como Requião que criticaram o “cancelamento do CPF” de Lázaro.

“Çim amiguinho, quem está feliz e aliviado com um bandido a menos aterrorizando inocentes se iguala a ele, que assassinou e estuprou uma mãe, além de matar o marido e os dois filhos, sendo um deles uma criança… Meu Deus! É a total desconexão com a realidade das pessoas comuns!”, escreveu Carluxo.

O deputado estadual Requião Filho (MDB), a exemplo do pai, também se manifestou sobre o fuzilamento de Lázaro.

“Não vou derramar uma só lágrima por Lázaro. O fim dele era esperado. Se foi ou não o adequado não cabe a mim. Continuarei cobrando o responsável por mais de 500 mil mortos no Brasil e todos aqueles que tentaram um $$$ por fora na compra das vacinas”, disse Requiãozinho.