ratinho junior

Ratinho Junior coloca vidas em risco com volta às presenciais, alerta cientista

  • APP-Sindicato convoca assembleia geral para dia 29 de maio
  • Educadores articulam greve geral contra retorno presencial
  • Sindicato pede a demissão do secretário de Educação, Renato Feder

O cientista Lucas Ferrante, do Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa), alertou o governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), que este não é o momento do retorno das atividades presenciais, indicando um grande risco de aumento da contaminação por Covid-19 no estado.

Ferrante participou na última sexta-feira (30/4) da reunião do Conselho Estadual da APP-Sindicato, entidade representativa dos 100 mil educadores paranaenses, que discutiu novas ações contra a proposta de Ratinho para o retorno gradual das aulas presenciais, a partir do mês de maio, e reforçou a necessidade de um lockdown efetivo no Paraná.

“O fechamento de escolas e universidades é o fator que mais contribui para reduzir a taxa de transmissão do vírus. Então nesse momento que o Brasil não vacina o suficiente, é completamente absurdo o possível retorno. Não é nenhum pouco viável”, disse o cientista do Inpa.

De acordo com a APP-Sindicato, Lucas Ferrante tem sido ameaçado por setores bolsonaristas por conta de sua pesquisa, que aponta o Paraná ainda não tem condições para um possível retorno às aulas presenciais e a necessidade de uma efetiva política de isolamento para reduzir os casos no Paraná e evitar mais mortes.

Leia também

Necropolítica, a política da morte de Ratinho

O Paraná acumula 22.611 mortes na pandemia, segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). O estado tem 953 mil casos de infecções pelo vírus.

É nesse contexto, de agravamento da doença, que a APP-Sindicato define táticas para enfrentar a necropolítica de Ratinho Junior, que, ao mesmo tempo que coloca em risco a vida dos trabalhadores de educação com a proposta nefasta do retorno presencial, ataca direitos fundamentais dos profissionais.

O Sindicato realizará uma coletiva de imprensa com a presença de Lucas Ferrante nesta segunda-feira (3/5), a partir das 10h da manhã, para debater o problema.

Suspeita de fraude na pandemia

A APP-Sindicato debateu ainda na sexta a terceirização do trabalho dos Funcionários de Escola e a demissão de mais de 9700 trabalhadores a partir do mês de maio.

O Sindicato enfatizou a necessidade de fiscalizar as empresas que venceram a licitação e prestarão serviço para o Estado, principalmente se o número exato de profissionais para as escolas respeitam o porte das unidades.

Assembleia geral da APP-Sindicato

Os representantes apontam que os educadores deverão intensificar a pressão nos Núcleos Regionais de Educação (NRE’s), cobrando o lockdown do estado e o não retorno das aulas presenciais neste período caótico.

Todas as propostas debatidas no Conselho serão apresentadas na próxima Assembleia Estadual da APP-Sindicato, que será realizada no dia 29 de maio.

O Sindicato relembra ainda que a categoria mantém o indicativo de greve e paralisação de todas as atividades, caso o Ratinho Junior insista no retorno das aulas presenciais.

A APP-Sindicato também vai intensificar a campanha pela demissão do secretário importado de São Paulo, o empresário Renato Feder.